um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Evangelismo de pessoas abertas ao evangelho – Aprenda a evangelizar com Paulo (6/13)

Damos continuidade a série de postagem “Aprenda a evangelizar com o apóstolo Paulo”. Ela foi adaptada do eBook “Transtornando o Mundo” de John Crotts, disponível para download gratuito. Nesta postagem, Crotts continua expocando como a estratégia de pontos de Paulo se aplicou ao público mais receptivo de Bereia.

4. Enfrente Oposição

Mas, logo que os judeus de Tessalônica souberam que a palavra de Deus era anunciada por Paulo também em Bereia, foram lá excitar e perturbar o povo. (Atos 17.13)

Até que os judeus de Tessalônica tivessem chegado, parecia que os judeus incrédulos de Bereia ainda não haviam se tornado hostis ou antagônicos contra Paulo e Silas. Estes adversários da verdade tinham sido muito bem-sucedidos em seus esforços agitadores em sua terra natal, de forma que resolveram usar a mesma estratégia de antes. Eles tentaram recriar as circunstâncias que resultaram na expulsão de Paulo de Tessalônica.

5. Siga para o Próximo Local

Então, os irmãos promoveram, sem demora, a partida de Paulo para os lados do mar. Porém, Silas e Timóteo continuaram ali. Os responsáveis por Paulo levaram-no até Atenas e regressaram trazendo ordem a Silas e Timóteo para que, o mais depressa possível, fossem ter com ele. (Atos 17.14-15)

Os novos cristãos bereanos não aguardaram até que as multidões ficassem ensandecidas. Eles imediatamente enviaram o pregador para fora da cidade até o mar. Visto que Paulo era o centro do ataque, era crítico tirá-lo do olho do furacão imediatamente.

Silas, o amigo de Paulo, e possivelmente Timóteo, deixaram Tessalônica com Paulo, quando ele precisou fugir às pressas (Timóteo pode ter seguido posteriormente). Neste caso, no entanto, Silas e Timóteo permaneceram em Bereia. A nascente igreja precisava do alimento, treinamento e cuidado que estes homens fiéis poderiam fornecer.

Do litoral, Paulo viajou aproximadamente 240 km ao sul, para Atenas. Parece que ele foi conduzido até lá por alguns de seus novos irmãos bereanos no Senhor. Eles pessoalmente escoltaram-no até Atenas, enquanto ao mesmo tempo certamente recebiam um treinamento magistral no evangelho. A instrução final de Paulo foi que Timóteo e Silas se juntassem a ele o mais rápido possível. Lucas não nos diz quando ou como a dupla se reuniu novamente com ele, em Atenas, mas aparentemente eles o fizeram em algum ponto. Parece que Paulo posteriormente os reenviou à Macedônia (Filipos e Tessalônica). Depois disso, eles reencontraram Paulo na próxima grande cidade de sua jornada, Corinto.

Pelo que, não podendo suportar mais o cuidado por vós, pareceu-nos bem ficar sozinhos em Atenas; e enviamos nosso irmão Timóteo, ministro de Deus no evangelho de Cristo, para, em benefício da vossa fé, confirmar-vos e exortar-vos, a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. Porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto; pois, quando ainda estávamos convosco, predissemos que íamos ser afligidos, o que, de fato, aconteceu e é do vosso conhecimento. Foi por isso que, já não me sendo possível continuar esperando, mandei indagar o estado da vossa fé, temendo que o Tentador vos provasse, e se tornasse inútil o nosso labor. Agora, porém, com o regresso de Timóteo, vindo do vosso meio, trazendo-nos boas notícias da vossa fé e do vosso amor, e, ainda, de que sempre guardais grata lembrança de nós, desejando muito ver-nos, como, aliás, também nós a vós outros. (1 Tessalonicenses 3.1-6)

Quando Silas e Timóteo desceram da Macedônia, Paulo se entregou totalmente à palavra, testemunhando aos judeus que o Cristo é Jesus. (Atos 18.5)

Como transtornar o seu mundo indagador

Em certo sentido, a maior diferença entre os judeus religiosos de Tessalônica e os de Bereia era sua resposta ao evangelho. A sinagoga de Tessalônica ficou em polvorosa por causa da mensagem do Messias, que Paulo e seus amigos trouxeram à cidade. No entanto, quando os líderes viram a reação ardorosa, tornaram-se enciumados e hostis. Os nobres bereanos, por outro lado, continuaram ouvindo, examinando as Escrituras e crendo no evangelho, pelo menos até que os enciumados tessalonicenses chegassem. O Espírito de Deus usou o espírito indagador inicial dos religiosos bereanos para trazer alguns deles à verdadeira fé em Jesus. Onde nós deveríamos buscar por esses religiosos indagadores?

Claro que não havia igrejas nas cidades que Paulo estava visitando pela primeira vez. Paulo procurou envolver as sinagogas judaicas de seus dias em conversas sobre Jesus, baseadas nas Escrituras. Talvez, as igrejas liberais forneçam um paralelo contemporâneo às sinagogas com as quais Paulo interagiu. Embora essas igrejas geralmente tenham se desenvolvido historicamente a partir da pregação do evangelho, essas raízes há muito morreram. As pessoas que se encontram nestes locais esperam ter conversas religiosas sobre Deus. Conquanto elas geralmente reconheçam algum valor na Bíblia, a maioria não compreende sua mensagem principal. Igrejas como essa são muito mais propensas a ensinar que uma pessoa se torna cristã por meio de seus próprios esforços para ser boa. Elas raramente mencionam Jesus, exceto como um exemplo para ser imitado.

E se você fosse a uma de suas aulas de Escola Dominical, ou em um estudo bíblico, e pedisse para participar? Mesmo que você dissesse logo de cara que fazia parte de outra igreja, a maioria das igrejas liberais é tão tolerante que acolhe conhecimento de toda fonte possível. Não demorará muito para as pessoas perceberem a diferença entre os comentários de um crente evangélico baseado na Bíblia e cheio de Cristo, e as ideias e opiniões que geralmente surgem naquele contexto. A notável autoridade do evangelho faz com que, muitas vezes, estes grupos busquem esses visitantes com conhecimento bíblico, eventualmente até mesmo pedindo a eles que deem aulas! Fale com os líderes de sua igreja, antes de começar a frequentar a Escola Dominical de outra igreja.

Certa vez, levei minha esposa para uma aula de Escola Dominical de uma igreja liberal durante nossas férias em outro estado. Foi quase chocante ouvir todos aqueles tipos de afirmações religiosas sendo adicionados à discussão. Alguns dos comentários eram, na verdade, ortodoxos, mas muitos outros eram heréticos. Minha esposa deu um tapinha em minha perna diversas vezes, temendo que eu entrasse na discussão muito rapidamente. Esperei até o término da aula. Embora eu fosse um visitante, perguntei se poderia adicionar algo. O gentil professor me assegurou que eu era parte valiosa daquela aula e que obviamente poderia participar. Em pouco tempo, eu resumi os evangelhos como a resposta definitiva para as perguntas que haviam sido levantadas. Os outros doze participantes da aula pareceram atordoados. Eles me agradeceram por compartilhar aquela mensagem, e então me pediram para finalizar a aula com uma oração! Eu orei o evangelho novamente. Depois da aula, ao menos três membros daquela classe vieram me perguntar se eu consideraria me mudar para aquela região e começar uma nova igreja. Toda aquela resposta, e eu sequer havia mencionado a ninguém que era um pastor!

Livrarias cristãs são outro refúgio em potencial para religiosos indagadores como os bereanos. Infelizmente, pesquisas informais mostram que a maioria dos participantes das principais convenções de editoras cristãs possui pouco ou nenhum entendimento do verdadeiro evangelho. Não são apenas os livreiros e seus gerentes que podem ser não-convertidos, mas normalmente seus fregueses também são. Estes clientes visitam livrarias cristãs por todo tipo de motivo, além de simplesmente comprar livros e música. Muitos vão por conta da atmosfera positiva e para se engajar em uma conversa agradável com os funcionários e outros clientes. Não é incomum encontrar incrédulos na seção de Bíblias.

Tendo trabalhado por muitos anos em livrarias cristãs, eu tive incontáveis conversas com amáveis santos de Deus, assim como com aqueles que não sabem nada sobre seus pecados ou sobre a obra suficiente de Cristo. Seja sensível aos proprietários, mas aproveite-se da acessibilidade das pessoas religiosas, em um lugar onde elas esperam conversar sobre temas cristãos. Pergunte sobre o entendimento delas da cruz. Descubra se elas têm aprendido da Bíblia. Pergunte sobre as mudanças que Cristo tem produzido nelas. Saiba onde estão alguns bons livros nas prateleiras, para os quais você possa apontar, sugerindo-os em sua conversa.

Em plena era da informação, religiosos indagadores também podem ser encontrados online. Você usa alguma rede social? Esta pode ser uma forma de baixo custo para cultivar conversas sobre o evangelho com religiosos curiosos. Tome muito cuidado com a quantidade de tempo que você gasta online, e com quem você está falando. O diabo gosta de atrair os cristãos para relacionamentos inapropriados, mesmo quando inspirados por motivos evangelísticos. Assim como em todos os relacionamentos, provavelmente é melhor que os homens cristãos direcionem as mulheres indagadoras a uma mulher cristã para continuar a conversa.

Por: John Crotts. © Ministério Fiel. Website: ministeriofiel.com.br. Traduzido com permissão. Fonte: Trecho do eBook “Transtornando o mundo – aprendendo a evangelizar com o apóstolo Paulo”.

Original: Evangelismo de pessoas abertas ao evangelho – Aprenda a evangelizar com Paulo (6/13). © Ministério Fiel. Website: MinisterioFiel.com.br. Todos os direitos reservados.

1 comentário
  1. Erci Diz

    Em Tito 2, o apóstolo Paulo instrui Tito a ensinar que a Graça salvadora foi manifestada a todos, ensinando-nos a renunciar a impiedade e as concupiscências. Só depois de Zaqueu ter confessado que era pecador, ladrão e que iria devolver quatro vezes o que havia roubado, Jesus disse: “Hoje entrou salvação nessa casa.” Ele não disse: Hoje entrou salvação nessa casa pq Zaqueu é predestinado ou porque ele quis me aceitar. Na parábola do Fariseu e do Publicano, o fariseu queria ser salvo, mas foi salvo o publicano pq reconheceu que era pecador. Por que as pessoas não renunciam o mundo pq são do mundo e amam o mundo? As que renunciam pq estão no mundo, mas não são do mundo.

Comentários estão fechados.