Dia dos Avós: honrando os pais de nossos pais

Dizem os avós – e eu acredito, embora ainda não tenha vivido esta experiência – que os netos são filhos com mel!

Este termo, que muitos avós usam para descrever seus sentimentos pelos netos, expressa muito bem o amor que eles têm pelos filhos de seus filhos. Se a paternidade e a maternidade estão dentre as experiências mais marcantes e até mesmo transformadoras na vida do ser humano, imagine-as regadas a mel!

Hoje, no Brasil, comemoramos o dia dos avós e acredito que valha uma reflexão para nós.

Quanto a data

Aqui no Brasil e em Portugal, países cuja tradição romana exerce grande influência, o dia 26 de julho foi escolhido para a celebração do Dia dos Avós porque a data corresponde ao dia em que a Igreja Católica Romana, na pessoa do Papa João VI (1963-1978), estabeleceu para a comemoração da festa de São Joaquim e Sant’ Ana. Segundo a tradição romana, com base no livro apócrifo do Protoevangelho de Tiago, Joaquim e Ana seriam os pais de Maria, portanto avós de Jesus.

Já nos Estados Unidos, por exemplo, a celebração do Dia dos Avós ocorre no primeiro domingo após a celebração estaduniense do Dia do Trabalho e não está vinculada às tradições romanas. A história americana relata que o Dia dos Avós começou pela iniciativa da Sra. Marian Lucille Herndon McQuade, da Virgínia Ocidental, mãe de 15 filhos, 43 netos, 10 bisnetos e um tataraneto, que iniciou sua campanha por um dia para homenagear os avós em 1970, com três propósitos: para honrar os avós, para dar aos avós uma oportunidade de demonstrar amor pelos filhos de seus filhos e para ajudar as crianças a tomar consciência da força, informação e orientação que os idosos podem oferecer.

O Princípio Bíblico

Independentemente das razões que levaram ao estabelecimento de uma data específica para a celebração do Dia dos Avós, nós cristãos devemos nos recordar que a Palavra de Deus nos afirma que ser avô e avó é, primeiramente, uma honra:

“Coroa dos velhos são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são os pais.” (Provérbios 17:6)

Um dos objetos de destaque na ornamentação de um rei é a sua coroa. A coroa é um emblema que expressa a majestade e a autoridade daquele rei. Por isso, diz-se que não há rei sem coroa! Em provérbios, a palavra coroa, muitas vezes traduzida por honra, expressa bem este lugar que dos avós no seio familiar, uma posição digna e de respeito.

Lemos, também, que ver os filhos dos teus filhos é um sinal da benção de Deus sobre a vida dos avós:

O SENHOR te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel! (Salmo 128:5,6)

Como deve ser gratificante, após anos labutando para educar seus próprios filhos, homens e mulheres poderem experimentar do fruto desta missão, através da vida dos netos. Enquanto somos pais, as preocupações do dia a dia em prol do sustento familiar e da educação dos nossos filhos muitas vezes acabam “roubando” a alegria nas pequenas coisas da infância. Já na condição de avós, sem a sobrecarga da responsabilidade primária sobre os netos, há um deleite na companhia e em cada gesto do neto. Isso é benção do Senhor!

Mas a Escritura não para por aí, ela nos fala, ainda, sobre a responsabilidade dos avós sobre as gerações que os procedem. Mas que responsabilidade é essa?

Não é incomum, hoje em dia, vermos avós assumindo o papel dos pais na educação das crianças. Ainda que compreendamos que, infelizmente, devido a realidade econômica de nosso país, muitas vezes esta seja a alternativa encontrada pelos pais, não é bom que isto aconteça, pois, como vimos acima, é tempo dos avós desfrutarem de outra fase de suas vidas. A responsabilidade, portanto, que a Bíblia coloca sobre os avós está relacionada ao legado de fé que eles devem deixar para seus netos:

 “(…) pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.” (2 Timóteo 2:5)

E essa responsabilidade vem cheia da graça e da misericórdia do Senhor, conforme ele promete àqueles que o temem:

“Mas a misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade, sobre os que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos, para com os que guardam a sua aliança e para com os que se lembram dos seus preceitos e os cumprem.” (Salmo 103:17,18)

Por isso, vovôs e vovós devem empenhar em conhecer cada vez mais o Senhor nosso Deus e transmitir as verdades bíblicas para seus netos, quer no exemplo, quer nos momentos de lazer ou em quantas oportunidades tiver.

O Valor Social

Os avós têm um papel vital não só na família, mas também na sociedade em geral. Essa geração deve ser ouvida e honrada, pois eles são as personagens de um passado próximo que, ricos em experiências, têm muito a contribuir com esta geração e com a porvir. São livros vivos, aguardando quem os leia.

Quantas histórias já viveram? Quantos joelhos foram ralados? Quantos presentes já receberam? Quantas flores cheiraram? Quantos orgulhos feridos? Quantos sonhos frustrados? Quanta lutas vencidas? Quantos valores acumulados? Quantas lágrimas derramaram e quantos sorrisos já esboçaram? Quanta sabedoria há, logo ali… aguardando que o espaço absolutamente vazio entre as gerações seja rompido, quem sabe com um simples abraço.

Hoje é o Dia dos avós, aproveite para retomar as relações intergeracionais. Reúna a família, ensine às crianças o valor desta geração, estimule-as a demonstrar seu apreço pelos seus avós (e por outros idosos).

Valorize aqueles quem Deus escolheu para serem seus ascendentes.

Por: Laise Oliveira. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direiros reservados. Original: Dia doa Avós: honrando os pais de nossos pais.

Comentários estão fechados.