um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

A pornografia rouba a felicidade

No texto anterior, falei como podemos quebrar o mandamento que diz “não matarás” promovendo a pornografia. Muitos podem ter achado a abordagem forçada ou não acharam respaldo para tratar do assunto como violação deste mandamento em específico. Acontece que o sexo é assunto de ordem moral, envolvendo toda a Lei divina. É a Palavra que nos concede a maneira correta de usufruir da sexualidade para glória de Deus.

Em Levítico 20 existe uma lista de pecados envolvendo relações íntimas. O adultério, o incesto, a sodomia, relações sexuais com parentes de primeiro grau e zoofilia são atos pecaminosos que desagradam a Deus.

A sexualidade foi algo criado por Deus. Mas ele a criou para o deleite no casamento. Adão e Eva foram criados para formar uma família, dando origem a outras famílias. Por isso que o sexo, algo que provoca prazer, não pode ser praticado como bem entender em nome da felicidade. Pode ser bom como for, o sexo fora do casamento é pecaminoso e afronta a Deus. Tal como a simples visualização de conteúdo pornográfico também desagrada o nosso Criador.

O casamento, conforme o Senhor instituiu, é heterossexual, monogâmico e indissolúvel (leia Gênesis 1: 27-28 e 2: 21-25). O escritor de Gênesis vai dizer que o motivo dos homens deixarem pai e mãe para formarem novas famílias está atrelado ao fato de Deus ter criado homem e mulher e dando-lhes a ordem de serem fecundos e povoarem a terra. O sexo, abençoado por Deus, no casamento, faz com que o casal se torne uma só carne. Cristo corrobora esse texto ao ser indagado sobre o divórcio:

“porém, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe [e unir-se-á a sua mulher], e, com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.”. Marcos 10:6-9

Como cristãos, somos o povo de Deus: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. 1 Pedro 2:9. A obediência é o princípio que regula nosso relacionamento com o Senhor e com as demais pessoas.

Para chamarmos Deus de “nosso”, precisamos seguir seus estatutos. Isso faz com que tenhamos que observar que o sexo tem o seu lugar, que ele se restringe ao matrimônio, e banalizar a sua prática é afrontar a santidade divina. A pornografia é uma das responsáveis por macular o leito matrimonial. E este, como nos diz Hebreus 13.4 é digno de honra. A honraria se dá pela preciosidade do casamento, instituição que Deus tem por alta conta.

Voltando para o texto de Levítico 20, vemos que as relações ali citadas estão presentes em muitos conteúdos pornográficos, o que torna a Pornografia uma “máquina-de-quebrar-leis”. Ela estimula pessoas solteiras e casadas a consentir com relações sexuais que são abomináveis aos olhos do Senhor. E ainda por cima, acaba por destruir o gozo do relacionamento sexual idealizado para ser puro, bom e agradável.

Mergulhadas na escravidão do pecado e na cegueira espiritual, os consumidores de pornografia não se dão conta de que o sexo no casamento é o melhor deleite se comparado com prazeres ofertados pelos meios ilícitos. Pois, o sexo é algo muito superior a uma simples troca de fluídos em uma junção carnal. Casais casados, ao se relacionarem sexualmente, estão glorificando o Criador e estão debaixo de suas bênçãos ao manter puro o leito matrimonial. Não é apenas “carne”. Há espiritualidade que envolve, agracia e edifica. E isso, relações ilícitas não são capazes de oferecer.

Em suma, a pornografia acaba sendo inimiga do sexo e empobrece, ao distorcer, esta dádiva que o nosso Pai Celestial nos dá. Nossa sociedade tem um lema: “Faça aquilo que seu coração mandar e seja feliz”. Mas, sabemos que o coração do homem é enganoso (Jeremias 17.9). Felicidade não é fazer o que se quer, passando por cima dos mandamentos. Nenhum homem que se coloca contrário ao que Deus estabelece pode ser feliz. Ele vai tentar e sempre dará com a cara na parede. Felicidade genuína se dá em conformidade com o que Deus estabelece. Ele nos fez, sabe o que é melhor para nós. Se o sexo é para o casamento e nossa sociedade pornificada não reconhece esta realidade, não espere felicidade como resultado. A pornografia não satisfaz, ela rouba a felicidade, escraviza, desfigura quem por ela se deixa dominar e nos coloca debaixo do severo juízo divino.

Por: Thiago Oliveira. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: A pornografia rouba a felicidade.

1 comentário
  1. Jadson Oliveira Diz

    Thiago!
    Este é um artigo oportuno e muito útil diante do crescente consumo da pornografia e das propagandas invasivas e sem censura que incentivam a sexualidade dissoluta.
    Muito bem! Muito bom!

Comentários estão fechados.