Como minha religião pode mudar a educação em escolas seculares?

Como minha religião pode mudar a educação em escolas seculares, sem que eu seja tachado como um ET?

Antes de responder a esta pergunta, permita-me fazer um apontamento. Frequentemente, as perguntas que fazemos sobre nossa participação cultural incluem essa preocupação com a maneira como seremos vistos pelas pessoas. Eu entendo a preocupação. Uma vez que somos cristãos e trazemos junto ao nosso nome o nome de Cristo, devemos nos preocupar com a maneira como somos vistos pelas pessoas. Isto não é necessariamente um problema. No entanto, é comum termos uma preocupação exagerada com nossa autoimagem, e isto pode se tornar uma armadilha para nós. Quando o desejo de sermos bem vistos pelas pessoas se torna nosso desejo maior, corremos o risco de negociar a nossa fidelidade a Deus para agradar as pessoas, e quando fazemos isso abrimos mão do instrumento de influência mais poderoso que temos, que é o nosso testemunho. Nosso desejo maior deve ser o de sermos fiéis a Deus e não o de sermos bem vistos pelas pessoas. Eu tenho dito em vários lugares que, se, no passado, Deus quis ser glorificado através do derramamento do sangue dos mártires, por que ele não poderia desejar glorificar o seu nome através do sacrifício de nossa visibilidade e influência? Custe-nos o que nos custar, o que nos importa é sermos encontrados fiéis (I Coríntios 4.2).

Expressa essa preocupação, vamos à pergunta, que é a seguinte: como minha religião pode mudar a educação em escolas seculares, sem que eu seja tachado como um ET? Quero começar minha resposta dizendo que ela não pode; nossa religião não pode mudar nada. E ao contrário do que você possa imaginar, minha birra aqui não é com a palavra religião. Eu não tenho problemas com essa palavra. Minha birra é conosco mesmo. Nada que procede de nós mesmos pode realizar qualquer mudança significativa, individual ou culturalmente falando. E crer de forma diferente levará você a trilhar um caminho de destinos perigosos: orgulho quando as coisas dão certo, e frustração quando as coisas dão errado. Então, entenda, de uma vez por toda: você não pode mudar nada! Muito cuidado com a autoconfiança.

Mas isso não significa que uma escola, uma proposta educacional, uma cultura, não possam ser mudadas. Ao mesmo tempo em que devemos ter cuidado com a autoconfiança, devemos ter cuidado com a incredulidade. Deus pode mudar todas as coisas. E o caminho que Deus utiliza para realizar essas mudanças é o testemunho verbal (palavras) e ativo (ações) de seus filhos. Foi assim no passado, e continua sendo assim hoje. Deus realizou significativas mudanças no Egito através de José, na Babilônia através de Daniel, em Genebra através de Calvino, na Holanda através de Kuyper, e pode realizar grandes mudanças através de você. Para isso, considere ser um missionário no lugar onde Deus te colocar, não apenas falando do Evangelho, mas agindo em conformidade com ele, cheio de sabedoria e coragem.

Mas há ainda uma coisa que eu creio que você deve entender: do lado de cá da eternidade, as mudanças serão sempre parciais e temporárias. A Bíblia não nos autoriza a pensar numa cultura plenamente restaurada a não ser por ocasião do estabelecimento de novos céus e nova terra. Digo isso para que, além de tomar cuidado com a autoconfiança e com a incredulidade, você tome cuidado com a utopia. Todas essas coisas produzem orgulho e frustração. Somente a fé produz amor e esperança.

Por: Filipe Fontes. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Como minha religião pode mudar a educação em escolas seculares?

4 Comentários
  1. Ilton Santana Diz

    O assunto é bom, mas em vez de dá propostas o autor ocupou o espaço com minúcias bobas (Você não pode fazer nada, mas Deus pode fazer através de você). Devíamos encarar que não apenas podemos, mas devemos fazer; obviamente considerando o caráter das mudanças possíveis. Melhor ainda é avançar para como contribuir para a promoção de mudanças reais em nossa comunidade.

  2. Ruth Diz

    Sempre muito edificada com seus textos, irmão! Estou na academia há alguns anos e ainda vou continuar e seus textos trazem muita luz para meus pensamentos e minha conduta. Agora no início de mais um semestre esses esclarecimentos são muito oportunos! Obrigada.

  3. Ruth Diz

    Eu acredito que a intenção do autor não é dar respostas prontas diante das demandas que vivemos nesse contexto, mas chamar nossa atenção para uma reflexão, principalmente, observando em nós
    elementos que podem atrapalhar alguma mudança cristã autêntica, como a autoconfiança, a incredulidade e a utopia que podem se tornar resultados de uma religião puramente legalista. O discernimento para nos posicionarmos efetivamente, quer seja em silêncio, palavras ou ações, procederá do Senhor operando em vidas que compreendam a verdadeira religião (Tg.1:27)

  4. Emerson Diz

    Muito edificante o texto!!!! E de fato, as vezes nao vamos precisar falar nada,so pelo nosso agir,com paz,mansidao,amor o “aroma” de Cristo vai ser sentido.” O nosso nosso testemunho é o melhor metodo de evangelismo que podemos ter”

Comentários estão fechados.