Ira e Choro (Exegese Visual)

“Eu fiz cessar o eia dos pisadores. Pelo que por Moabe vibra como harpa o meu íntimo, e o meu coração, por Quir-Heres”. Isaías 16.10,11

“Eu fiz cessar o eia dos pisadores”, aqui se refere ao julgamento do Senhor sobre Moabe e como ele silenciou os gritos de colheita que eram ouvidos em seus campos. O que sempre me intriga com esse versículo (e os semelhantes em 16.9 e 15.5, assim como Jeremias 48.3-32, 35-36) é como o Senhor – que é totalmente livre para fazer o que quiser – ordena e executa julgamentos que entristecem o seu próprio “íntimo”. Como pode ser isso? A única coisa semelhante que temos para isso em nossa experiência é quando alguém é obrigado, por certas circunstâncias a fazer algo que sabe que será doloroso para ela (por exemplo, uma gravidez em que a mãe ou o bebê ou ambos morrerão … o que fazer?). Mas isso não pode ser o caso de Deus. Ele não está preso a nada, sua vontade – Seu livre arbítrio soberano – é a lei (Sl 115.3). E ainda assim, o vemos fazendo algo que faz com que se lamente nas profundezas de sua alma, que faz com que ele encharque com suas lágrimas aqueles que ele mesmo julgou (v.9). Esta é uma linguagem chocante; o que vamos fazer com isso?

No mínimo, podemos dizer que a vida afetiva de Deus não é como a nossa. Em absoluta liberdade irrestrita e soberana, ele escolhe chorar com genuíno lamento e compaixão por aqueles a quem ele despedaça na sua ira sagrada. Nem seu choro nem sua destruição são fingidos, nem são falsos, nem são um exibição … ambos fluem de seu “íntimo”, ambos mostram a beleza de seu caráter. Isto é um mistério …, mas aquele que abre seu coração para nós no Calvário. Sim, porque na cruz vemos o Pai esmagar seus inimigos no corpo de seu Amado, vemos o Filho voluntariamente levar nosso pecado e oferecer-se para ser esmagado, e vemos o Espírito como o meio deste esmagamento. E simultaneamente, na cruz, vemos o Filho ensopar a terra com suas lágrimas e sangue, assim como o Pai – podemos supor – encharca o Filho (e nós nele) com lágrimas de amor no Espírito. Sim, a ira sagrada e o choro de compaixão de Deus não estão em desacordo, não são paixões conflitantes, e sabemos disso porque elas cantam em harmonia no Calvário.

O que significa ter um Deus que chora? Um Deus que chora, não por fraqueza ou incapacidade, mas por uma vontade soberana que escolhe chorar sinceramente por e com suas criaturas? O que as lágrimas de Deus significam? Ele está chorando agora pelas nações? Ele está chorando agora por aqueles que se opõem a ele? Ele está chorando agora sobre aqueles sobre quem derrama a sua ira? Ou todo o seu choro pela humanidade foi alcançado na cruz? Todos os seus choros foram resumidos nas agonias do Filho Amado quando ele se tornou as nações pagãs, quando ele se tornou o pecador, como o amor que chorou quando ele derramou ira tornou-se aquele que chorou sob a ira derramada?

Que possamos nos curvar diante do peso e maravilha do choro de Deus – santificado seja o Seu Nome.

Por: Chris Powers. © Full of Eyes. Website: fullofeyes.com. Traduzido com permissão. Fonte: Wrath and Weeping.

Original: Ira e Choro (Exegese Visual). © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Paulo Reiss Junior. Revisão: Filipe Castelo Branco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.