um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Vinícius Musselman Pimentel – Minhas Impressões Pessoais do “8º Congresso Vida Nova de Teologia”

Águas de Lindóia sediou novamente um importante evento sobre teologia e, mais especificamente, sobre apologética. Convidado por Franklin Ferreira, fui fazer a cobertura do evento pelo VE (espero que você tenha acompanhado, senão no final da postagem pode ver os resumos das palestras). Franklin, pelo qual tenho grande admiração, é um grande entusiasta em favor do VE. Chega a ser vergonhoso alguém que escreveu uma Teologia Sistemática (presumivelmente difícil de fazer) recomendar e admirar o trabalho deste pequeno blog. Grande é o Deus que usa pequenos vasos de barro para carregar o Tesouro do Evangelho.

Ao chegar lá, tive a honra de dividir o quarto com Renato Vargens, Diego Venancio e Jonathan Silveira. Se bem que no quarto só ficávamos para dormir. Tive o prazer de compartilhar algumas experiências com eles, como o fato de que vim/saí de uma igreja neopentecostal. Vocês precisavam ver a cara de espanto do Renato!  Mas isso é história para outro texto. Estar por um breve momento com pessoas que amam a verdade e desejam se aprofundar é muito bom, mas ao sairmos dessa reunião lembramos como o Brasil está carente da verdade.  Creio que isso nos leva a primeira grande pergunta.

Quem se importa com apologética?

Será que você, membro ou pastor de igreja, se importa com doutrina?

O martelo desta pergunta veio na palestra de Jonas Madureira, segundo Daniel Grubba (presbítero junto com Jonas da Fonte de Sicar), “um filósofo com um enorme coração de pastor” (e posso confirmar pessoalmente isso). Em sua palestra, Jonas nos desafiou a nos aprofundarmos na doutrina. Ah, vivemos em dias de cristianismo “água-com-açúcar” nos diria C. S. Lewis, um cristianismo que se esquiva das grandes e difíceis perguntas. Será que você, membro ou pastor de igreja, se importa com doutrina? Paulo falou para Timóteo ter cuidado da doutrina e da vida cristã, mas, talvez, hoje, preferimos nos apegar a outras coisas. Por que temos essa rala visão de que doutrina e vida cristã estão em oposição?

Qual a importância da apologética?

Mas para que importar-me com doutrina e apologética, você pode perguntar. E a primeira resposta é bem simples e bem autoritária: porque a Palavra assim ordena! Além disso, William Lane Craig nos deu três grandes motivos para apologética, abordando tanto a vida cristã particular, como a cultura. E, de fato, precisamos de um cristianismo maior que vê além de nossas necessidades, que enxerga a cultura e deseja ver o Reino de Deus se instaurando em toda esfera da vida humana.

Expanda sua apologética!

E essa visão maior, essa cosmovisão cristã, foi ensinada por Guilherme de Carvalho e Davi Gomes. Uma das coisas que aprendi neste congresso é que existem várias métodos de apologética. Você sabia disso? Iremos postar algo sobre isso na quarta. Aliás, ficar depois das palestras e ouvir as conversas que rolavam entre os palestrantes e algumas pessoas foi incrível. Obviamente, eu só ficava na miúda aprendendo. Aprendi sobre os problemas com a Teologia Natural, os efeitos noéticos da queda e sobre apologética pressuposicionalista. Palavras grandes de filósofos e teólogos! E, não, efeitos noéticos não tem nada a ver com Noé. Se você pensou isso, não se sinta mal, não foi o único. Efeitos noéticos (do grego nous: mente) se refere aos efeitos da queda na mente humana. Só para instigar seu pensamento: um ser humano pode chegar somente pela razão ao Deus Trino que se revelou nas Escrituras? Essa era uma das grandes perguntas nos debates.

Muito mais a falar

Teria tanto para falar! Falar sobre a maravilhosa mesa e extensão elétrica que havia para os congressistas. Se você tem um “fornobook” em seu colo, você também seria grato. Falar sobre como era notório que os congressistas estavam sendo instigados em seu pensar. Falar da simpatia de cada palestrante, tanto em responder perguntas. Mas ninguém ganha da Selminha, esposa do Stênio. Deus a agraciou com uma porção dobrada de simpatia! Isso me lembra de quão bom foi ouvir o Stênio. Confesso que lágrimas rolaram quando ele tocou Tapeceiro e Face a Face. O louvor que nasce em meio à dor é tão sublime.

Há mais, contudo, termino aqui minhas impressões, recomendando que se for possível você compareça no próximo Congresso, ou pelo menos assista ao vivo. Instigue seu conhecimento lendo o que cada palestrante falou:

Você esteve lá? Comente suas opiniões pessoais também!

Por Vinícius Musselman Pimentel © Voltemos ao Evangelho.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

2 Comentários
  1. Daniel PC Diz

    Realmente foi maravilhoso!

  2. Felipe Aranha Diz

    Foi lindo! É algo que é necessário para todos os cristãos nos dias em que vivemos e que proporciona um crescimento pessoal sem palavras.
    Tive contato com muitos irmãos e trocamos ótimas idéias e considerações.
    A participação ilustre do Dr. William Lane Craig foi inspiradíssima e trouxe um pouco da chamada “renascença da filosofia cristã” que está se desenvolvendo na Europa e America do Norte para o Brasil, que tanto potencial tem e tanto necessita.Espero poder ir no congresso do ano que vem.Obrigado ao VE por tornar disponível uma cobertura tão competente e completa do evento!

Comentários estão fechados.