Bobby Jamieson – Como Viver Com o Que Você Não Consegue Mudar (4/4)

Sabemos que muitos dos leitores do VE foram despertados para o Evangelho, mas se encontram em igrejas onde o mesmo não aconteceu. Então surge a dúvida: sair ou lutar por uma reforma? Esta série de postagens de Bobby Jamieson, do ministério 9 Marcas, traz certa sobriedade ao assunto. Antes de você tomar alguma decisão, sugiro que você espere as quatro postagens e esteja em oração.

  1. Porque Você Não Pode Mudar Sua Igreja
  2. Quando você pode mudar sua igreja?
  3. Como Mudar Sua Igreja
  4. Como Viver Com o Que Você Não Consegue Mudar

Nos três últimos posts, eu argumentei que para a maioria, se você não for o pastor você não pode mudar nada fundamental sobre sua igreja. E eu examinei as exceções a esta regra e falei do que você pode fazer para mudar sua igreja.

Neste último post quero refletir sobre como viver com aquilo que você não consegue mudar em sua igreja.

Vivendo com o que você não consegue mudar

Obviamente, você não deve viver com heresias ou erros doutrinários importantes. Então se sua igreja começar a se desviar seriamente dos trilhos teológicos, trabalhe para trazê-la de volta ao curso. E se ela deixa o caminho por completo, sem chance real de reforma adiante, você realmente não tem escolha senão deixá-la.

Mas vamos dizer que você está em uma igreja que é basicamente sã doutrinariamente, mas que possui uma hoste de pequenos, porém sérios, problemas. E não parece que estes problemas irão embora tão cedo.

Basicamente, você tem duas opções: sair pacificamente, ou permanecer alegremente.

Sair Pacificamente…

A decisão de sair ou não dependerá em parte se há outra igreja significativamente mais saudável na proximidade. Isto não é tudo, mas uma parte necessária.

Se vice decidir sair, preserve a unidade em sua saída. Fale caridosamente e sem muitos detalhes sobre as razões de sua saída. Fale tão bem quanto possível sobre sua atual igreja e seus líderes. Trabalhe antecipando seu movimento para minimizar qualquer dano relacional ou tensão ministerial que sua partida possa causar. E ore por seu coração, por seus líderes, e por toda a igreja. Não deixe que a amargura lhe acompanhe até a porta, ou que ela seja o presente de despedida que você deixa para trás.

Mas a decisão de sair também depende de com o que você decide que pode e não pode conviver. Pense cuidadosamente sobre prioridades teológicas — quais doutrinas são mais centrais, importantes, e praticamente significantes que outras. Pense cuidadosamente sobre questões de preferência versus princípio bíblico, estilo versus substância. Busque aconselhamento. Determine em oração onde está seu limite. E se o limite for claramente ultrapassado, saia pacificamente.

…ou Permaneça Alegremente

Mas se você decidir ficar, seja porque você livremente decidiu que você pode viver com o que você não consegue mudar, ou porque não há outro lugar para ir, permaneça alegremente.

Aqui há algumas maneiras de fazer isso:

1. Seja Leal ao Seu Pastor

Primeiramente, seja leal ao seu pastor. Seja um membro fiel, submisso, humilde e apoiador. Expulse o pensamento de que sua lealdade e submissão dependem de seu pastor concordar com você em cada ponto doutrinário ou prático. Não deixe que suas discordâncias teológicas ou práticas transformem-se em justificações para desobedecer aos mandamentos bíblicos de submeter-se a seus anciãos e estimá-los no Senhor (Hebreus 13:17; 1 Tessalonicenses 5:12-13).

Em outras palavras, seja um verdadeiro amigo de seu pastor. Carregue seus fardos. Ore por ele. Seja por ele. Silencie as fofocas e reclamações dos outros sobre ele com sua própria apreciação alegre dele. E deixe que ele saiba pessoalmente que você o ama e o apoia.

2. Declare o Que Há de Bom na Igreja, Especialmente na Pregação

Segundo, declare tudo o que você puder sobre o ministério de sua igreja, especialmente na pregação de seu pastor. Por “declarar” quero dizer dar encorajamentos verbais específicos, tanto a seu pastor quanto a outros membros.

Quando você foi particularmente encorajado pela exposição que seu pastor fez das Escrituras em um sermão, conte para ele, e diga o porquê. Mostre a ele que seu ministério está cultivando frutos na sua vida. Isso será bom para sua alma e para a dele.

3. Não Provoque Descontentamento Entre Membros

Terceiro, não provoque descontentamento entre membros. Se você desenvolveu convicções que vão além das de seu pastor — por exemplo, sobre a soteriologia reformada ou pregação expositiva — seja muito cauteloso e cuidadoso sobre como você fala para os seus comembros sobre elas. A última coisa que você quer é plantar sementes de descontentamento ou começar convocar pessoas em torno de suas ideias e contra o seu pastor.

4. Seja Atrativamente Piedoso

Quarto, seja atrativamente piedoso. Embriague-se das Escrituras e da oração. Faça da obediência a Jesus sua principal ambição. Seja uma fonte de saúde bíblica e vida bíblica que transborda para outros.

5. Vista-se de Amor

Finalmente, sobre todos estes, vista-se de amor. Seja paciente com seus irmãos. Discipline-se a não reclamar e criticar. Domine não apenas sua língua, mas seu espírito. Tenha alegria tal nas boas coisas que Deus está fazendo em sua igreja que sobre pouco espaço para depressão descontente.

Em outras palavras, ame a sua igreja porque Cristo ama a igreja e deu a si mesmo por ela (Efésios 5:25). Ame a sua igreja não porque eles sejam amáveis, mas porque eles são amados (Deuteronômio 7:7-8). E se Deus pode amar a sua igreja apesar de tudo o que pode haver de errado com eles, você também pode.

Por Bobby Jamieson. Copyright © 2012 9Marks. Website: 9marks.orgOriginal: How to Live with What You Can’t Change (Part 4 of 4)

Tradução: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

28 Comentários
  1. Fabiano Diz

    Um benção todos os posts. Me ajudaram muito!
    Deus abençoe muito vocês!

  2. Otniel Cabral Ramos Diz

    Muito bom esta série. Realmente uma obordagem muito edificante sobre um assunto tão delicado. Parabéns a todos que compõe o VE. Que Deus vos fortaleça.

  3. Ane Melo Diz

    Uma bênção! No meu caso, a opção foi a saída, pacífica… Estou em outra igreja, onde as questões que me fizeram tomar a decisão de sair, da outra, estão bem resolvidas na atual, Foi uma escolha feliz, gosto de trabalhar e já estou envolvida, com muita alegria, e continuo mantendo a relação amigável com os irmãos da antiga igreja.

  4. Edu Lopes Diz

    Muito bom o artigo, principalmente para quem leu na íntegra. Passei pela experiência de ter que sair de uma organização eclesiástica e nem sempre é fácil tomar esta decisão, por mais que se tente sair de maneira pacífica.

  5. Alexandre Lozado Diz

    Desde que começou essa série eu tenho aprendido muito! Deus tem trabalhado em minha alma colocando os padrões corretos a serem seguidos. Tudo isso o VE tem ajudado muito. Mas esta série tem sido essencial, só Deus sabe o quanto tem sido essencial. Obrigado

  6. Felipe David Diz

    este post foi resposta de Deus as minhas orações, Deus agindo sempre no momento exato e sempre no controle de tudo. Deus seja louvado .

    e obrigado V.E

  7. Ieda Sardinha Diz

    Isso me ajudará muito pois tenho vivido esta experiencia

  8. Bernardo Quiulas Diz

    Bobby fala a respeito de doutrinas centrais e mais importantes… Alguém poderia expor um pouco a respeito? Ou indicar textos das Escrituras que me revelarão isso? Abraço!

    1. Vinícius S. Pimentel Diz

      Bernardo,

      Definir o que é “central” na doutrina cristã não é a tarefa mais simples, e exigiria um longo comentário (na verdade, daria pra fazer toda uma série sobre isso). Mas, como um ponto de partida, sugiro que você leia este artigo do Kevin DeYoung traduzido pelo iPródigo: http://iprodigo.com/traducoes/onde-e-como-tracamos-a-linha.html

      Em Cristo,
      Vinícius

    2. Bernardo Quiulas Diz

      Obrigado Vinicius. Acredito que vou começar uma tarefa difícil, mas prazerosa.

      Abraço,
      Em Cristo.

  9. Andreia Oliveira Diz

    Realmente foi um despertar, na igreja onde congrego meu pastor, não me sinto bem chamando-o de apóstolo, é um homem conhecido internacionalmente, mais que já há muito tempo não prega ou exorta sobre por exemplo, arrependimento, salvação, temos muitos estudos, admito, mais nada a respeito de salvação, sim de prosperidade, honrar nosso “apostolo”, obedece-lo pois ele é profeta, como então devo proceder????amo a igreja…desde de minha conversão estou nessa congregação…mais estou vendo minha filha com fome da palavra..meu marido já não quer ir aos cultos, ele diz que já está cansado de ouvir sobre viagens, mesinha de decoração, jatinho, qd levamos visitantes….às vezes me sinto constragida….me ajude!!

    1. Vinícius S. Pimentel Diz

      Andreia,

      Temos aqui no VE bastante material sobre o “evangelho” da prosperidade, e há uma frase muito impactante de John Piper a respeito do tema: “Eu ODEIO a teologia da prosperidade, porque eu amo a glória de Deus”.

      Sinceramente, diante do que você afirmou, considero que sua igreja está incorrendo em um erro doutrinário sério, enquadrando-se naquela situação em que o próprio autor do artigo concorda que mudanças são extremamente necessárias. Sendo assim, se você não está em posição de trabalhar por essas mudanças (e acredito que não esteja), a solução mais sábia é sair dessa igreja e procurar uma congregação bíblica onde você e sua família possam crescer saudavelmente.

      Portanto, meu conselho é: converse com seu esposo sobre o assunto e peça que ele lidere você e seus filhos nesse doloroso, porém necessário e urgente processo de transição para uma igreja séria. De maneira submissa, e com muita oração, procure chamar a atenção dele para a importância de vocês serem membros fiéis, diligentes, frequentes e ativos de uma congregação saudável.

      Creio que o Senhor há de despertar o coração dele e ajudar todos vocês nessa fase difícil, para a glória do Seu nome e para a edificação da sua família.

      Em Cristo,
      Vinícius

  10. vivian theobald Diz

    A igreja em que estou não pega firme em ensinamentos bíblicos e percebo que tem muita idolatria ao apostolo é uma igreja boa mas sabe o que acontece eu vi uma pregação do Paul washer e me impactou muito eu sinto falta de uma palavra nos púlpitos que trazem mudança de vida o que fazer?

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Se sua igreja tem “apóstolos” que afirmam falar com a mesma autoridade que as Escrituras eu sugeriria você sair correndo daí pois ele é um falso mestre e falso apóstolos.

      Eu já ficaria muito suspeito com uma pessoa que se declara apóstolo hoje.

      Se a Bíblia não é pregada, mas só prosperidade, revelação, etc., então eu acho melhor você procurar uma igreja de verdade.

      Sei que parece dura a forma como coloquei, Vivian, mas falo desta forma porque você pode estar sendo enganada por falsos mestres e não desejo que isso lhe aconteça.

    2. Fernando Diz

      Frequento uma igreja M12 e percebo que o pastor e os líderes idolatram muito o “apóstolo” renê terra nova. O pastor só prega sobre teologia da prosperidade, sonhos realizados, saúde restaurada e nada do evangelho. Fico me perguntando se são falsos mestres ou só estão enganados. Me sinto muito aflito e confuso!

    3. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Fernando, se o evangelho não é pregado, eu recomendo sair, pois se não há o evangelho, também não há uma igreja verdadeira.

  11. Elden Diz

    Na falta de outra igreja mais saudável, tenho que ficar. Mas esse item 2 é muito difícil. Aceitar discursos de auto-ajuda como sermões não é fácil…

    Ah, excelente post!

  12. Crispeto Diz

    Muito obrigado.

  13. Renato Rj Diz

    É… Estou pensando em sair da minha igreja pacificamente, inclusive da denominação, pois a diretoria tem pouca visão sobre missões. Na verdade fala-se a respeito mas na pratica o valor que se dá é uns 30% só! Muita teoria e isso já está me enojando (desculpem a palavra). Sem contar que muitos ministros já creem nesta desgraçada teologia da semente do silas malafaia. Volte e meia o mostra como exemplo de grande sucesso. “Não aguento isso!” A pouca participação na luta contra
    as drogas -em especial o crack- A pouca substância na exposição Bíblica. Quando fala de pecado é “por cima” não se esmiúça e etc. Uma Igreja que já foi uma referência; tem ótima base teológica mas… Ñ sei o que está acontecendo… Quem tem poder pra falar contra, tem se calado. Maldita ética também! Que por culpa dela muita heresia se propaga. O que fazer? Triste isso.

  14. willy Diz

    minha igreja é pequena, mas tem muitas boas doutrinas, recentemente eu entendi a doutrina da eleição que nossos pastores nao pregam, mas como augustos nicodemos diria : “ainda bem que para ir para o céu não se precisa entender a doutrina da pré destinação”… bom eu até pretendia discutir e tentar mudar a cabeça deles, mas lendo esta série de artigos cheguei a conclusão que não faz muita difirença, comparadas à problemas que eu tenho visto aqui nos comentários…
    Bom à todos os irmãos que vão numa igreja que prega coisas erradas… tenham persistência, mesmo que você encontre a igreja perfeita ela cometerá erros no futuro, é comum onde se tem homens as cosias darem errado.Deus não desistiu da sua igreja, antes levantou você para começar a muda-la, não para dividi-la mas quando você aprende o correto é porque Deus quis, ele ensinará aos outros verdadeiros irmãos também…

  15. Washington Oliveira Diz

    MUITO BOM

  16. Mary Diz

    Pra falar a verdade eu me sinto perdida…
    todos esses textos foram excelentíssimos,mas acho que não sei bem como me aplicar a esse ensino. Na igreja na qual faço parte,os líderes não vem priorizando muito a pregação e o ensino,até o fazem,mas de maneira muito superficial. por exemplo: tem um culto que é denominado culto da comunhão,no qual o Líder principal faz uma pequena reflexão de 15 minutos e logo em seguida é disputa bíblica ou melhor dizendo brincadeira até o fim!
    Outro exemplo: Os Jovens (principalmente o presidente) estão com objetivos errados,no que se refere a evangelização e culto. quando evangelizam não querem falar de Cristo,mas apenas convidar a ir a igreja,e quanto ao culto fazem de tudo pra agradar os não-convertidos com peças de teatro,músicas com letras muitas vezes antibíblicas,e até já tentaram trazer coreografia,mas que graças a Deus foram impedidos! Ou seja o objetivo deles é igreja cheia! popularidade,mas muito pouco de Cristo ou quase nada! tentei sugerir um estudo de um livro,mas coloram diversos obstáculos para que eu pudesse desistir.
    e sem falar que o pastor não tem se importado com essas situações que vem acontecendo,não percebe que a igreja está abandonando a Cristo e se moldando a artíficios mundanos.

    ALGUÉM ME AJUDE!
    ESTOU MUITO AFLITA.

    1. Davi Diz

      Desculpe não poder ajudar de forma melhor. Eu não tenho muita experiência, digamos que sou novo em Cristo, mas recomendo que ore a Deus e fale sinceramente com Ele. Um abraço!

    2. Leandro Rui Diz

      Que lindo, Davi! É muito revigorante quando vemos um novinho na fé falando com tanta propriedade. Geralmente os novinhos como você são mais sensíveis à voz de Deus, justamente por estarem experimentando o primeiro amor e por não ter o coração endurecido por mágoas ou demais problemas da vida cristã. Isso nos serve de alento pois nos faz ouvir a voz de Deus através de vocês, novinhos. Enfim, o que eu gostaria de dizer é que a resposta já foi dada, por Deus e através do Davi. Devemos deixar de lado nossas mágoas, pontos de vista, “achismos” e essa eterna luta por quem está certo ou errado e nos apegarmos mais ao amor simples que Jesus nos ensinou. Todas as comunidades estão quebradas (claro que umas mais que outras), mas nós também estamos quebrados. Creio que ao invés de procurarmos um lugar mais confortável pra frequentar, devemos nos achegar mais a Deus e colocar a situação pra Ele. No fim das contas, seremos um bando de quebrados apoiando (leia-se: exortando) uns aos outros, entregando nossas vidas ao único que pode juntar nossos pedaços. Que possamos voltar a ser Corpo. Fiquem em Paz.

    3. Gabriel Valadares de Oliveira Diz

      Oi, Mary!

      Então…. Se vc não tem uma liderança lá, se vc não pode fazer nada pra mudar, então saia de lá e vá pra uma outra igreja onde o Evangelho é levado mais a sério, e onde vc possa crescer lá.

      De td modo, ore pedindo sabedoria pra Deus, que, como em Tiago 1, Ele tem o prazer em dá-la.

      Deus te abençoe!

  17. Anônimo Diz

    A minha é uma igreja Apostólica…..com visão celular.não há um apostolo….mas me sinto renegada pelo pastor,,,por vir de uma doutrina batista..e por motivos de ordem pessoal, na qual nosso relacionamento de amigos foi destroçado….não tenho para onde ir….e provavelmente não irei a mais nenhuma, por motivos de distancia e tempo….eu sinto uma dor de morte…..

  18. Luís Muniz Diz

    Cleo, vou orar por você hoje. Que o Senhor te guie, irmã. Esse lance de igreja com problema é tenso e mexe com a gente mesmo. Também vi muitos relacionamentos serem destroçados na minha antiga igreja. Perdi alguns irmãos muito queridos e até relacionamentos na família foram prejudicados. Que o Senhor realmente te ajude!

  19. Leandro Rui Diz

    Cleo. Comecei minha vida espiritual aos 13 anos de idade em uma igreja também Batista. Depois que esta amada igreja onde cresci física e espiritualmente sofreu um racha, muita coisa mudou. Isso me esfriou e me tornou desigrejado. Conheço essa dor, mas se mantenha firme em oração. Se nada mudar, poderás dizer ao fim da vida que lutaste o bom combate e guardaste tua fé. Pense também que Deus pode estar te moldado, e aceite isso. Ame, e acima de tudo, demonstre isso. Se há alguém que nos possa servir de exemplo no tocante ao modo de levar essa dor de morte, essa pessoa, sem dúvida, é Paulo. Prova disso são as inúmeras cartas endereçadas às igrejas da Asia. Todas com problemas. Fique em paz irmã. Deus tem ouvido o anseio de seu coração :)

Comentários estão fechados.