um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Bobby Jamieson – Por que Você Não Pode Mudar Sua Igreja (1/4)

Sabemos que muitos dos leitores do VE foram despertados para o Evangelho, mas se encontram em igrejas onde o mesmo não aconteceu. Então surge a dúvida: sair ou lutar por uma reforma? Esta série de postagens de Bobby Jamieson, do ministério 9 Marcas, traz certa sobriedade ao assunto. Antes de você tomar alguma decisão, sugiro que você espere as quatro postagens e esteja em oração.

  1. Porque Você Não Pode Mudar Sua Igreja
  2. Quando você pode mudar sua igreja?
  3. Como Mudar Sua Igreja
  4. Como Viver Com o Que Você Não Consegue Mudar

Parece que pelo menos uma vez por mês eu recebo um email de um membro de igreja — não um pastor — perguntando como ele pode mudar sua igreja. Não “mudar” no sentido de imprimir os boletins em um papel diferente, mas no sentido de reformular a estrutura de liderança da igreja e as práticas de membresia. Deve essa pessoa dar ao pastor alguns livros? Convocar uma reunião? Começar um grupo de estudo?

Se você está nesta situação, o que você pode fazer? Como você pode mudar sua igreja quando você não é o pastor?

A resposta curta é: você não pode. Se você não é o pastor, você não pode mudar sua igreja. De verdade. É sério. Sem retratação de surpresa esperando de sobreaviso.

Agora, eu sou congregacional, então é claro que eu creio que a igreja pode — e deve — demitir seu pastor se ele começa a ir aonde a Bíblia não vai. O pastor não tem a autoridade final; a congregação como um todo tem.

Mas à parte dessas vezes excepcionais, se você não é a pessoa que está formalmente encarregada de pregar a Palavra e liderar a igreja, então você não pode mudar sua igreja de nenhuma maneira fundamental. Isso se aplica quase de maneira igual a um pastor que não é o pregador primário da igreja. (Estou me referindo primariamente a “o pastor” uma vez que a maioria das igrejas possui apenas um.)

Por que você não pode mudar sua igreja — ou seu pastor

Por que você não pode mudar sua igreja se você não é o pastor? Eis aqui quatro razões.

1. A Palavra Causa Mudança

Compartilhe no Facebook

A Palavra de Deus é o que vivifica, concede poder, ilumina, e transforma o povo de Deus. A Palavra de Deus é o que causa mudança na igreja. Isso se aplica tanto para práticas de adoração e estrutura de liderança quanto para santidade pessoal.

Portanto, a pregação que toda a igreja ouve semanalmente é a força mais importante moldando a igreja. O púlpito é a fonte de mudança. Se você não é responsável pelo púlpito, você simplesmente não pode conduzir uma mudança que afetará toda a igreja.

2. Influência, Ofício, e o Ministério da Palavra

Deus ordenou que as igrejas se submetam — confiem, sigam — seus presbíteros (Hebreus 13:17; 1 Pedro 5:5). Através de seu ensinamento e caráter piedoso, os presbíteros devem servir de exemplo ao rebanho (1 Pedro 5:3). Sua fiel exposição bíblica e suas vidas piedosas e transparentes devem multiplicar sua influência e autoridade na igreja.

Em outras palavras, quando o Espírito Santo nomeia presbíteros em uma igreja (Atos 20:28), é como se ele os colocasse em um palco diante da igreja, acendesse um refletor sobre eles, e dissesse: “Sigam estes homens!”. Então, se você não é um desses homens, por que a igreja seguiria você?

Mais do que isso, se você está tentando conduzir a igreja em uma direção diferente do que seus líderes nomeados querem levá-la, por que a igreja deveria confiar em você ao invés de seus próprios presbíteros? Neste caso você está trabalhando em oposição à natureza de como Deus deseja que a igreja seja guiada. Você está se intrometendo na maneira que Deus estabeleceu para direcionar seu povo.

Esse tipo de reforma intrometida é de alguma maneira justificável? Claro. Mas não se apresse ao invocar Lutero.

Ao invés disso, reconheça como Deus uniu o ofício de presbítero (pastor), o ministério da Palavra, e a influência pastoral. Se você está tentando liderar uma igreja a uma direção que seus próprios presbíteros não querem ir, isso provavelmente não é reforma, mas desejo de divisão.

3. Você Não Pode Ensinar a um Velho Pastor Novos Truques

Terceiro, você não pode ensinar a um velho pastor novos truques.

É claro que um homem piedoso e humilde continuará a crescer e aprender. E de vez em quando, um pastor experiente passará por uma transformação filosófica. Mas a visão da maioria dos pastores em sobre assuntos como pregação, liderança e estrutura eclesiástica não estão disponíveis para qualquer um questionar. E se a posição do pastor não vai mudar, a igreja não vai mudar.

Isso é frequentemente uma função dos limites da imaginação pastoral. Se um pastor batista ouviu apenas presbiterianos chamarem os líderes eclesiásticos de “presbíteros”, você provavelmente não conseguirá convencê-lo de que isso é bíblico. Ele simplesmente não pode imaginar que isto está certo. E se um pastor nunca foi parte de uma igreja que levava membresia a sério, então “limpar o rol” parecerá tão sábio quanto golpear um vespeiro — só dor, nenhum ganho. Ele não consegue visualizar o objetivo no lado oposto da bagunça, e então ele não é compelido a dirigir através da bagunça para chegar lá.

Muitos pastores lideram o ministério da única maneira que eles conhecem. É a única maneira que eles foram treinados, a única maneira que eles viram modelada, a única maneira que eles confiam. Então, em geral, você não pode mudar seu pastor.

4. Absalão ao Portão

Por último, vamos dizer que após desistir de tentar mudar o pastor, você ainda tente mudar sua igreja a partir de seu lugar no banco. Qual será a colheita?

Eu diria que o que quer que você faça irá quase inevitavelmente ter um efeito duplo: em alguma medida você irá enfraquecer os líderes e dividir a igreja.

Vamos dizer que você seja muito amado na igreja e é, informalmente, um líder influente. Se as pessoas começam a unirem-se a você e suas ideias, isso irá debilitar a confiança, a afeição e a lealdade ao(s) pastor(es) delas. Você será Absalão ao portão, ganhando os corações do povo e afastando-os de seu pai Davi. Independentemente dos méritos supostamente justos de sua causa, você estará enfraquecendo o(s) homem(ns) que o Espírito Santo nomeou para pastorear o corpo.

E você irá dividir a igreja. Uma vez que concordar com você é discordar do pastor, você não deixará outra escolha para as pessoas senão dividirem-se em duas facções. Ao invés de reformar a igreja, você estará encubando uma divisão de igreja.

Exceções? Próximos passos? Próximos três artigos

Existem exceções a isto? É claro que há, apesar da maioria fazer parte da regra.

E se você é um membro de uma igreja que precisa urgentemente de reforma, há alguma coisa que você possa fazer para ajudá-la a andar na direção certa, mesmo não sendo pastor? É claro que há. Eu estou dizendo que você não pode virar o barco 180 graus. Não estou dizendo que você não pode trabalhar por uma mudança menor e gradativa ou tentar gentilmente influenciar seu pastor.

Eu abordarei estes pontos, se for da vontade do Senhor, em mais três artigos nas semanas seguintes.

Por agora, apenas abaixe a arma de reforma eclesiástica, afaste-se lentamente, e ninguém se machuca. E então vá agradecer a Deus por sua igreja, ainda que ela precise de reforma, assim como eu e você precisamos.

 

Por Bobby Jamieson. Copyright © 2012 9Marks. Website: 9marks.orgOriginal: Why You Can’t Change Your Church (Part 1 of 4).

Tradução: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

 

55 Comentários
  1. Gleidson Reis Diz

    Acho que ele a analisa bem, mas apenas sobre um ponto de vista e principalmente da preservação da liderança. A igreja precisa sim continuar reformando e não interessa qual perfil de igreja, se a cada dia ela não está caminhando para se parecer mais com a noiva de Cristo, elá esta no erro.

    Acho que um boa resposta a pergunta “porque as pessoas seguiriam alguem que nao tem o púlpito e nao é presbítero?” pelo mesmo motivo que seguiram os apóstolos e não os líderes constituídos, o poder da palavra e a ação do Espírito Santo. Paulo não influenciou tanto a igreja estabelecida como o mundo? Paulo não repreendeu a Pedro, considerado um dos apóstolos de maior influência, até então? Será que o Espírito Santo não pode mudar uma igreja? Não houveram reavivamentos, não houveram reformas, e elas não são mais necessárias no mundo presente?

    Minha resposta é “SIM” Você pode levar os membros da igreja mais perto da cruz, do arrependimento e da verdadeira palavra e vida com Deus. “SIM” você pode e deve ser luz e sal onde estiver. “SIM” você deve “roubar” os corações do comodismo e das artimanhas de satanás para estarem cativos a Cristo e a Ele somente.

    Sola scriptura, Sola Deo Gloria.

    1. Yago Martins Diz

      Indico esperar os próximos textos =)

    2. João Marcus Diz

      Yago, bom dia!

      Sobre a última parte: “Por agora, apenas abaixe a arma de reforma eclesiástica, afaste-se lentamente, e ninguém se machuca. E então vá agradecer a Deus por sua igreja, ainda que ela precise de reforma, assim como eu e você precisamos.”

      Não sei se nos outros textos o autor vai tratar sobre isso, mas quando sua mente se abre para enxergar o caminho que a igreja está seguindo e isso afeta diretamente na sua comunhão com os irmãos e suas atividades ministeriais na igreja, fica complicado simplesmente abaixar a guarda e aceitar. Também não concordo em criar “fúrias” desnecessárias em pessoas que talvez não estejam preparadas para enxergarem isso ainda. De qualquer forma, você não acha que isso exige de mim uma postura mais direta em relação à situação? Ou seja, ou muda muita coisa (vi no texto que é quase impossível) ou vou ajustar minha vida eclesiástica mudando para uma igreja bíblica.

    3. Luis Fernando Oliveira Diz

      Realmente os outros textos tratam de exceções à regra que este primeiro texto apresenta. Acho que teria sido mais prudente postar os 4 de uma vez.

  2. Felipe Diz

    Interessante esse texto, porque eu não vivo em uma igreja que caminha no erro, no entanto é uma igreja acomodada e eu sempre tive essa vontade de ver a igreja onde eu congrego mudada, e gostaria muito de contribuir ativamente para essa mudança, no entanto eu concordo com o autor do texto acima, qualquer “movimento brusco” não guiado pelo Espirito Santo tem mais caráter de facção do que de agente de mudança. é claro que também concordo com o comentário do Gleidson, mas isso se aplica em situação especiais, onde definitivamente o Espirito de Deus te levantou a tal tarefa, e se ele fez assim, com certeza não usará “armas” que vão ferir a igreja, neste sentido, seus membros. Acredito que Deus trabalhará em função dessa mudança de tal forma que tudo coopere para que isso aconteça, mesmo existindo aqueles que, ainda assim, serão ferramentas do inimigo para tentar frustrar essa mudança. Por fim, a todos que estiverem envolvidos nessas situações eu faço questão de lembrar que a igreja jamais será detida pelo inferno e nada que tente destruí-la.

  3. Matheus Bertoluci Diz

    Sei que tem mais, mas sou ansioso. kkkkk

    […] Ao invés de reformar a igreja, você estará encubando uma divisão de igreja. […]

    Se for pensar sempre por esse lado, nunca vamos “reformar” uma igreja. Sei que precisamos de reforma tambem, concerteza, creio nisso.

    Mas, querendo ou não, ao tentar fazer algo por sua igreja, voce ai, sem intenção, voce estará criando duas facções. isso é inevitável.

    1. Bruno Bechis Diz

      Estou triste, irado, decepcionado , etc…. etc…. etc..,,, isso é traição Matheus, pra não falar outra coisa,,, e tem mais,, não vou ficar quieto e não concordo com nada disso,, espero que você veja isso porque esse malignos ai tiraram o outro post que eu escrevi… não to acreditando nisso

  4. João Marcus Diz

    Muito bom. Veio em bom tempo… aguardando os próximos textos.

  5. Fabiano Diz

    Excelente texto! Veio em ótimo tempo. Aguardo pelos próximos!
    Deus abençoe ;D

  6. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Lembro-me de quando perguntei para Mark Dever o que um jovem que despertou para o Evangelho deveria fazer se estivesse em uma igreja onde o Evangelho não fosse pregado. Ele foi bem sucinto: “os pais vão à igreja também? Se não, recomendo sair”.

    Confesso que anos atrás eu achava que a pessoa deveria lutar por mudanças (e eu mesmo fiz isso). Talvez uma coragem pueril. Hoje, acho que concordo em grande parte com a postagem.

    1. Bruno Bekis Diz

      vc é maligno cara,,, divisor ,,,, faccioso……….. “!!!!!!!!!!!!!!

  7. Judiclay Silva Santos Diz

    A Reforma da igreja começa no púlpito. É por meio da pregação bíblica, fiel e consistente, proclamada no poder do Espírito Santo que a igreja é transformada. Como dizia Moody, se a igreja deseja experimentar um avivamento precisa acender uma fogueira no púlpito.

  8. Marcia Diz

    De acordo com o ultimo tópico acima, devo então sair da igreja, já que estou vendo que o meu pastor está seguindo em uma direção errada, e eu já fui uda da por Deus pra conversar com ele, e nada foi feito, e as coisas continuam erradas e o povo está se afastando e a igreja ficando vazia ?

    1. Vinícius S. Pimentel Diz

      Marcia,

      Sugiro que você aguarde os próximos posts.

      Em Cristo,
      Vinícius

  9. Uerico Dias Fernades Diz

    Excelente texto, existe um livro que dentre outros assuntos trata do que foi abordado, ele é muito edificante e indico a quem tem duvidas sobre esse assunto, o nome do livro é Debaixo das suas asas de John Bevere! Deus nos abençoe

    1. Lúcia Diz

      Eu li esse livro e também recomendo. Ele fala da diferença que há entre ser obediente e ser submisso. Vivemos na teocracia e não na democracia. Indico também do mesmo autor, “A Isca de Satanás”, excelente para quem já caiu na isca, “ofensa” e tem dificuldade para sair desta situação terrível que só atrasa o nosso crescimento e nos desvia da vontade de Deus. Deus te abençoe irmão!

  10. Angelo Bazzo de Oliveira Diz

    Ótimo texto – lido com esse problema diariamente –
    Trabalho com igreja nas casas – a forma que procedemos é bem diferente que a do texto
    Mas diariamente lido com pessoas que querem mudar suas denominações por meio de “começar uma igreja caseira” de forma subversiva – eles chamam de celulas – grupo de estudo etc – mas no fim são pessoas que se unem para discordar da liderança – dizem que querem influenciar mas nao tem ética.
    Se vamos permanecer em uma estrutura especifica isso significa que concordamos com o que é dito la – ainda que não concrdemos 100 % – mas se estamos juntos logo concordamos (ainda que não 100%)

  11. Lúcia Diz

    Gostei muito do tema, muitíssimo oportuno. Está cada vez mais difícil permanecer numa igreja hoje em dia. E não falo de probleminhas pequenos que toda igreja tem, afinal todos somos imperfeitos. Estamos sofrendo “abusos”, sendo violentados por heresias e pecados. Por isso que “toda hora” novas igrejas estão abrindo. Creio também que a falta de preparo de líderes e principalmente que caem em seu próprio entendimento e não ouvem o Espírito Santo falar, por isso fica esse caos. Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?
    (Amós 3.3) Quando não concordamos com a liderança, já estamos em divisão e temos que ter cuidado a forma que vamos orar, pois, não podemos orar contra a liderança. Não sabemos o que Deus vai fazer com aquilo tudo, creio que devemos ir no líder maior que é Jesus e pedir que ele fale conosco sobre o assunto, então, Ele nos responderá o que devemos fazer, se saímos ou não. A mudança é com ele.

  12. Renan Diz

    Devemos sim esperar os próximos textos, todavia, os questionamentos já começam a surgir.
    A divisão é inevitável, sem dúvidas, e afirmo que ela deve acontecer, entre crentes e descrentes, o que é normal nas igrejas, embora, não devesse ser assim.
    Paulo nos alertou quanto as divisões, (1Co 3) e podemos concluir que o povo mais perigoso era o de Cristo, pois consideravam-se submissos somente a Cristo, diminuindo a honra de uma liderança. Contudo, o que tem acontecido é que muitos líderes não tem pregado o evangelho, estão inventando “outro”, e segundo o texto de Paulo em Gálatas, deve ser amaldiçoado e o problema se agrava, pois os mesmos que não aceitam a reforma, são os que tem seguido o evangelho de facilidades, triunfante e próspero, ou seja, um evangelho superficial, pra não dizer mentiroso! O que afirmo é que grande parte das divisões acontece por efetividade da palavra, pois sem dúvidas ela vai dividir crentes dos descrentes! Ou devemos acreditar que não existem disfarces demoníacos infiltrados nas igrejas como líderes?

  13. Gracy Kelle Diz

    Como a palavra é importante! Quem dera que houvesse um verdadeiro esmero em se preparar sermões de fato relevantes, edificantes, instrutivos e exortativos! A igreja está faminta do pão quente vindo direto do céu para alimentá-la e fortalecê-la.

  14. Higor Paulino Diz

    A Paz irmãos! Tenho acompanhado os posts e gostaria de apresentar uma experiência pesoal que acredito que tem a ver com o assunto. A alguns anos atrás eu fazia parte de uma denominação e comecei a ter uma crise muito forte ao comparar o livro de Atos com a forma e o contexto que estava inserido de “viver igreja”; para completar o “desespero”, acabei tendo contato com o livro O Discípulo de Ruan Carlos Ortiz, que conta a experiência vivida na década de 70 por irmãos em Buenos Aires, movimento esse que gerou uma compreensão mais apronfundada sobre o Evangelho do Reino de Deus e se expalhou pelo mundo todo, inclusive no Brasil, com irmãos como Moysés Morais, Asaph Borba, Daniel Souza, Sérgio Franco, entre outros. Lendo este livro e conhecendo a vida desses irmãos, meu entendimento sobre vida em comunidade acabou por ser totalmente dissipado. O primeiro caminho natural a ser tomado nessas situações é o de entrar em choque com o estado em que se está vivendo, até porque você ama as pessoas que estão a sua volta. Porém esse é o pior caminho; e agora vou discordar do irmão que postou o artigo. O problema não é virar um Absalão. Porque o Absalão já apareceu na história anteriormente. Foi o irmão que um dia, não se conformou com a denominação que fazia parte e rachou com ela, virou o líder da sua e deixou um grande buraco. A igreja, com suas milhões de placas denominacionais, já está rachada e repleta de Absalões a muito tempo. Acredito na paternidade espiritual com certeza; mas também creio que a partir do momento que observamos nossa liderança indo na contra-mão do que está descrito e claro na Palavra, e temos total clareza disso, estamos sendo coniventes com algo que pode ser muito prejudicial. Não acho que o melhor a fazer é a luta, pois a batalha deixa muitas feridas, principalmente em nós mesmos. Acredito que a sujeição da situação ao Supremo Pastor da Noiva deva ser o primeiro passo, os próximos devem ser tomados debaixo da Centralidade de Suas Palvras. Grande Abraço.

  15. Fábio José Diz

    Não gostei.
    Paulo, mesmo sendo mais novo e que não viveu com Jesus repreendeu Pedro duramente em Gl quando este dissimulava com os Judeus, isso mostra que a autoridade máxima na terra é a palavra de Deus.
    O único lugar onde se descreve como deve ser o culto é em 1Co 14 e lá diz “Tratando de profetas, que um ou dois falem e OS OUTROS JULGUEM” quando vou achar uma igreja que pratica isso?! Tanta bobagem se houve nos púlpitos e todo mundo fica pisando em ovos para falar a respeito!!! O que se houve muito é :”Não fale contra o ungido do Senhor” “Honre a quem tem honra” “Examina e retenha o que é bom” Babozeiras como essas, fora de contexto, e como as do artigo acima estão ajudando os hereges e falsos profetas viverem felizes e se proliferaram por todos os lugares! Onde estão os Bereanos que “confirmavam nas escrituras todos os dias para confirmar se Paulo dizia a verdade” onde há um pastor que elogia pessoas que confirmam na Bíblia e questionam se o que ele fala é verdadeiro?! Meu Deus, que tempos difíceis vivemos!

    1. Filipe Diz

      @Fabio José –
      A paz meu irmão.
      Se me permite, quero respoder seu comentário em 2 verísculos na palavra
      ” Toda autoridade é constituída por Deus” veja bem, TODA.
      “Todo homem seja pronto a ouvir, tardio a falar e tardio a irar-se”
      Sempre temos algo a aprender…
      abraços em Cristo

    2. Fábio José Diz

      O diabo também tem autoridade e nem por isso devemos obedecer, como citado abaixo a autoridade só é válida se segue a Deus, vejamos o que Pedro e os apostolos fizeram em Atos:
      E aconteceu, no dia seguinte, reunirem-se em Jerusalém os seus principais, os anciãos, os escribas,

      E Anás, o sumo sacerdote, e Caifás, e João, e Alexandre, e todos quantos havia da linhagem do sumo sacerdote.

      E, pondo-os no meio, perguntaram: Com que poder ou em nome de quem fizestes isto?
      Atos 4:5-7
      Mas, para que não se divulgue mais entre o povo, ameacemo-los para que não falem mais nesse nome a homem algum.

      E, chamando-os, disseram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem, no nome de Jesus.

      Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus;
      Atos 4:17-19
      Autoridade que segue o diabo já perdeu a autoridade, faço minha as palavras de Pedro: “ulgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus;”

    3. Diogo Lovato Diz

      Obrigado pela bela respostas, Fábio! Precisamos ensinar mais Bíblia e os princípios da Reforma Protestante pra que o povo pare de seguir homens ao invés de Jesus.

    4. Thamara Cardoso Diz

      Fábio, tenha calma, peça a Deus que desenvolva em você os frutos do espírito, releia o artigo e veja: ” tentar gentilmente influenciar seu pastor.” … se o seu pastor não fala de Jesus, ore por ele e sua igreja, toda reforma deve começar com joelhos em terra. Seja misericordioso com essa alma pecadora como Deus foi com você.

      Abraço.

    5. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Fábio,

      Esta postagem nada fala sobre tolerar lobos na igreja, nem contra o Sola Scriptura. Fala somente que mudanças na igreja fluem do púlpito e que se alguém for pregar algo diferente do que é dito no púlpito o mais provável não é mudança, mas divisão.

      Por favor, abaixa suas armas e espere a próxima postagem.

      Abraço

    6. Fábio José Diz

      Olha não respondi antes porque esqueci dessa postagem de tantos problemas que estou, não porque não tinha respostas, vamos lá,
      1 – Não falei nada de Sola Scritura, não sei de onde tirou isso! Usei versos bíblicos.
      2 – O texto de Davi e Absalão retrata um contexto de guerra e não havia igreja naquela época, mas vou usar um exemplo claro também do VT, quem era maior autoridade no tempo de Davi? Davi era o rei, entretanto foi repreendido por Natã que era um profeta que mostrou a ele que estava transgredindo o mandamento do Senhor. Diversos outros profetas repreenderam reis, inclusive profetas anônimos.
      3 – No NT, que é o mais indicado para pautar nossa discussão, além de Paulo corrigindo Pedro em Gálatas, temos o caso de Apolo:

      E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras.

      Este
      era instruído no caminho do Senhor e, fervoroso de espírito, falava e
      ensinava diligentemente as coisas do Senhor, conhecendo somente o
      batismo de João.

      Ele começou a falar ousadamente na sinagoga; e,
      quando o ouviram Priscila e Áqüila, o levaram consigo e lhe declararam
      mais precisamente o caminho de Deus.

      Atos 18:24-26E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras.
      Este era instruído no caminho do Senhor e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor, conhecendo somente o batismo de João.
      Ele começou a falar ousadamente na sinagoga; e, quando o ouviram Priscila e Áqüila, o levaram consigo e lhe declararam mais precisamente o caminho de Deus.
      Atos 18:24-26
      Olha ai, quem é humilde reconhece que está errado e a autoridade da Bíblia, independente de ter eloquência e sabedoria!

  16. Firmino Diz

    discordo passialmente, porque não Davi ao portão? será que o suposto pastor é a vontade de DEUS ou a do povo? Concordo com o comentário abaixo que fala da unilateralidade do texto.

  17. justificacaopelafe Diz

    Bom texto e bem oportuno. Eu vim de uma igreja pentecostal (AD) e há 3 anos congrego numa igreja batista tradicional de posicionamento arminiano. Agradeço a Deus pela nossa igreja. Sei que ela não é perfeita e nem reformada (acreditem se quiser, ser reformada não significa ser perfeita! ; ) ), mas até o momento é onde Deus nos quer. Nosso pastor tem uma boa mensagem, e existe momentos que se você fosse ouvir uma pregação dele diria até que ele é reformado. Desde que chegamos na igreja ele sabe o nosso posicionamento, e sempre nos respeitou. Todas as vezes que tive a oportunidade de comentar sobre as doutrinas da graça, ele prontamente me ouviu e eu nunca o agredi, impus alguma coisa ou o desrespeitei. Não tenho dúvidas que Deus está na direção da nossa igreja. Alguns já me questionaram: “Onde você acha que Deus é mais glorificado? Na sua igreja ou numa reformada?” Como eu conheço o Deus a quem amo e conheço a igreja onde estou, posso dizer que Deus é glorificado onde Ele assim quiser ser. Não podemos medir isso. Mesmo tendo uma posição calvinista com relação as Doutrinas da Graça (e isso não escondo de ninguém, nosso pastor faz parte até do nosso grupo de discussão do Justificação pela Fé no facebook), pela graça de Deus e em concordância com a vontade do nosso pastor e da igreja, desde o início do ano fui eleito líder do evangelismo da nossa igreja. Em suma, precisamos buscar o equilíbrio segunda a vontade de Deus. A reforma deve acontecer em nós antes de tudo, as demais coisas serão conseqüências.

    1. Tereza Diz

      Glória a Deus por esse seu entendimento. Penso igual. Paz.

  18. Firmino Diz

    Para o irmão Filipe…toda a autoridade é constituída por Deus… esse texto não deve ser utilizado como subterfúgio, até por que Nero, Hitler, Mussolini, Stalin, Papa Lúcio III, Edir Macedo, Dilma Roussef, etc, também foram autoridades; vale lembrar que devemos batalhar pela fé.

    1. Filipe Diz

      @6d9c256be503d72bd42793edafc7d0a6:disqus – Meu irmão, a paz!
      Grato por compartilhar a sua opinião.
      No fundo sabia que seria replicado essa minha postagem…haha.
      Realmente, todos eles são autoridades, cabe a nós orar por eles…sendo detentores de poder e não buscam a Deus para fazer (presente/passado/futuro) o certo.
      Segue passagem para reflexão e complemento:
      “Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.
      Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos.
      Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá.
      Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal.
      Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência.
      É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho.
      Dêem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”

      NVI
      Romanos 13:1-7
      Em Cristo.
      Filipe

    2. Firmino Diz

      Caro irmão Filipe concordo contigo, todavia existe uma mensagem implícita no texto citado – Retidão- e é bom diferenciarmos a autoridade consentida e a escolhida. Nos versículos de caráter compulsório, fala da autoridade JUSTA (vontade divina), no entanto sabemos que infelizmente a grande maioria pertence a autoridade consentida (Deus é soberano. Ex: Saul, a autoridade foi consentida por DEUS, no entanto em algum momento Davi, Jonatas, tiveram de NÃO SUJEITAREM a ele, para não incorrerem em desobediência a DEUS) ou seja Deus não “escolheu” Saul.

    3. Filipe Diz

      @6d9c256be503d72bd42793edafc7d0a6:disqus – Concordo contigo no tocante a nos sujeitarmos as autoridades.

      Eu entendo porém que não devemos em hipótese alguma realizar complô, facção, divisão ou coisas do gênero (reinterado o comentário abordado acima), isso em hipótese alguma provém de Deus.
      O fato de não se sujeitar ao meu ver pode ser interpretado de duas maneiras:1 quando não queremos e vamos contra (rebeldia).2 quando não concordamos e não nos submetemos, porém não nos declaramos debaixo dessa mesma autoridade.
      O texto citado por você, se encaixa nessa segunda hipótese, quando há divergências e há uma escolha sábia em apenas sair sem alarmar ninguém…( o que realmente aconselho a quem não pretende ficar debaixo de certas autoridades ), obviamente depois que atestar biblicamente que aquela autoridade não domina as escrituras ou incita heresias no meio do povo…Creio que assim como o pulpito é um local de onde emana a palavra de Deus ao povo, pode emanar águas amargas se adminstrado por alguem néscio.

      Ademais, fique na paz!

      Em Cristo

  19. Antonia Rodrigues Diz

    Obrigado gente do VE amo vcs em Cristo bjs.

  20. Pablo Diz

    Levada muito cegamente a cabo, esta mensagem pode ser perigosa. Há casos em que a denominação tem a doutrina são, mas um pastor específico pode deixá-la apagada. Isso, infelizmente, parece comum hoje em dia.

    Neste caso, devemos estar todos pulando de igreja em igreja? Ou fundar uma nova? E a oração, onde fica?
    Senti muita muita falta de uma consideração mínima que seja sobre a oração. Spurgeon dizia que seu ministério tinha todo aquele “sucesso” porque a sua igreja orava. As reuniões de oração eram cheias. É muito fácil jogar toda a culpa na liderança e deixar a igreja numa posição meramente crítica (no sentido de avaliar se é bom ou ruim), enquanto está confortavelmente sentada no seu banco — e só aos domingos, para piorar.
    Disso, esta mensagem não falou!

    Acho que esta mensagem vale se for uma igreja, por exemplo, cuja confissão de fé já não é sã, ou quando o pastor não é eleito, etc.

  21. jailson Diz

    na verdade mudar nao sendo o lider da igreja será muito dificil,mas não devemos aceitar apostasia,pois em 2ts 2 diz ninguem vos engane pois a vinda do senhor não acontecerá sem que venha a apostasia,e devemos alertar nossos irmãos quanto a isso.
    outra coisa Jesus nao usava da sua autoridade para demonstrar que era filho de Deus e sim a sua humildade e seu amor,não é o que acontece com certos lideres que querem fazer da sua autoridade para enganar a muitos.

  22. Nathalia Leite Diz

    Gostei muito do texto. Deus o abençoe.

  23. Jades Rogério Diz

    Muito bom o assunto ainda que eu não concorde totalmente com o post, gostei mais de ver os comentários do que o post, porque eu acho que é isso, é essa discussão que devemos ter, e com muita oração e ajuda do Espírito Santo buscarmos a direção de Deus pra nós. Acredito também que “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o filho e seu pai…” Mt. 10.34-39, inevitavelmente a palavra de Deus nos dividirá ou nos unirá, não há meio termo, concordo que devemos evitar divisões movidas por mágoas ou por decisões pessoais, mas pelo que eu me lembre Lutero nunca quis dividir a igreja, ele foi excluido. Penso que tudo o que podemos fazer é primeiramente firmarmos nossos joelhos em oração mais do que nunca e seguir a direção do Espírito, creio que uma simples atitude gerada pela obediência ao Senhor possa causar muito mais impacto do que qualquer outra coisa. Vale lembrar que cada congregação tem uma necessidade e problema diferente, não dá pra fazer uma receita e aplicá-la a todos.
    A paz de Cristo ilumine vosso entendimento.

  24. disqus_nWAY1xBuZa Diz

    Tenho estado nessa situação a algum tempo e até alguns colegas deixaram a igreja. Contudo, entendo que se deve usar de sabedoria e que embora haja alguns erros eles podem ser consertados mas não por nós, mas por DEUS. Tenho feito pouco eu sei, mas os frutos já tem aparecido e alguns tem sido regenerados, nas poucas oportunidades que tive falei deste evangelho verdadeiro e, embora criticado, estas oportunidades tem se multiplicado. Sou o mais cotado para assumir o Minitério da juventude, desta forma peço a DEUS, que com mais oportunidades e influencia eu possa fazer muito mais por minha igreja que tanto amo. Pois pois estou no meio dos fracos para alcançar os fracos, fazendo tudo pelo evangelho, sem divisões nem contendas.

  25. Leo Andrade Diz

    Que Deus continue vos abençoando!!!

  26. Tereza Diz

    Em relação a isso já estive desesperada. Já peitei pastor e outros líderes. Já levantei a voz em sessões na igreja. Já chorei e passei períodos sem congregar. Ai passei a orar e a buscar ler mais a bíblia. Ela me consolou e consola ao mesmo tempo que me deixou envergonhada. Em Reunião de ceia Deus já me impeliu a correr ao pastor de minha igreja e publicamente, chorando pedir-lhe perdão por ter gritado com ele. Hoje tô tranquila, não deixei de expor opinião contrária quando não concordo com alguma coisa dentro da igreja, mas aprendi a ser mais branda e lembro sempre que o que deve motivar-me é amor. O amor a Deus, ao pastor da igreja e a igreja. A lembrança de que meu dom foi concedido por Deus e que serei cobrada por Ele, impulsiona-me ao exercício, com excelência desse dom. Compartilho com minha sala na EBD o que não considero saudável pra igreja, sempre a luz da escritura sagrada e peço que a sala avalie pela própria palavra se certas práticas glorificam a Deus e promovem o Seu reino? se o que a igreja tem realizado é ordenado pela palavra ou é invenção de homens? nunca jamais tentando colocá-los contra a liderança ou pastor da igreja. E sim, concordo que não haverá mudança se o púlpito não mudar, mas o querer e o efetuar é de Deus, Ele é soberano, ainda que o púlpito de uma igreja esteja sendo utilizado de modo contrário a Sua vontade, ainda assim Ele está no controle de Sua igreja.

  27. Jeane Diz

    Creio firmemente q antes de discutirmos sobre problemas ou dilemas dentro da igreja, devemos definir bem o q è igreja e o q nao è. Por exemplo nem tudo q reluz è ouro, e na realidade sem dogmismos, e nem tudo que se diz igreja na realidade o è. Igreja è ser corpo de Cristo, participantes de sua natureza Divina e por consequencia SANTOS e nao mundanos e orgulhosos, cheios de desejos carnais, e pobres em desejos por Deus, Sua Palavra e Santidade.
    Ou seja nao basta um professo pastor ser levantado por outro suposto pastor e conseguir juntar um grupo de pessoas mais carnais q espirituais em torno dele, chama-los de irmaos e isso com um passe de magica, se chama”igreja”.
    Na realidade nao è assim q funciona, pois se fosse assim Jesus teria q ter compromisso com quem nao tem compromisso com Ele e com Seu Evangelho.
    Verdadeiros Cristaos refletem o carater de Cristo, começando do proprio pastor.
    Se um suposto pastor nao tem o brilho do carater de Cristo em humildade e mansidao, para ouvir com paciencia e amor a opiniao ou ideia do membro mais insignificante q seja, e conduzi-lo com sabedoria a Verdade do Evangelho no assunto colocado, mas antes se ofende, pq se sente auto sufciente ou em um nivel elevado, e nao tem tempo a perder com o pobre irmao.
    O tal NAO è pastor, aquele q TEM a sabedoria de Cristo, sabe q todos dependemos um do outro.
    Uma pessoa sem o brilho de Cristo em seu carater, com certeza nao està levando a congregaçao a Cristo, mas a si mesmo, para uma oebediencia cega as suas vontade e caprichos usando para isso a Palavra de Deus fora do contexto.
    Està levando todo grupo a tantas atividades e menos na formaçao do carater de Cristo.
    E isso infelizmente NAO è igreja mas apenas entrenenimento religioso, nada tem haver com Cristo e a Sua Noiva. Mas sim com apostasia dos ultimos tempos, a qual o Senhor diz claramente: Saì do meio dela POVO MEU, para nao receber juntamente com ELA (Babilonia=Apostasia), da minha ira. em cada um. E nem todos aqueles q se dizem guardioes da reforma protestante realmente os sao, se nao vivem no CAMINHO como eles viveram.
    DESPERTEM!!!
    Paz a todos.

    1. Daniel Lima Diz

      Muitas vezes é isso que acontece, se você é membro e procura discutir algo sobre a palavra com a liderança, você está alfinetando, se é a liderança usando a palavra contra você, está te edificando, realmente não entendo essa injustiça.

  28. Betina Diz

    Muito bom… espero que venham os outros artigos logo. Esperarei ansiosa :)

  29. Mateus Rocha Diz

    Gente ta na hora de vocês produzirem um aplicativo para ler os artigos no tablet. Abraços!

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Concordo. Pena que não é simples e sai caro pagar para fazerem.

    2. José Eduardo Diz

      Bem, se serve de consolo, na rua leio os artigos em um Nokia c5, numa tela 3×4, numa velocidade a manivela. Bem, sinto-me um alemãozinho esperando sair mais um fasciculo dos manifestos escrito a mão ou uma tiragem da prensa de Gutenberg rsrsrsrsrsrsrsrs. Até que eu tenha um Smart e o VE tenha o aplicativa, vamos nos edificando do modo que podemos.

      Fique na paz.

  30. Diogo Lovato Diz

    E quem disse que todo pastor de igrejas evangélicas espalhadas pelo nosso país são “homens que o Espírito Santo nomeou para pastorear o corpo”??? Tenham mais senso crítico e exegético, por favor! Concordo com Fábio José: vivemos dias muito difíceis mesmo!

  31. Cesar Augusto Costa Diz

    a palavra mudança ja causa um desconforto… e como o texto esclarece…só a Palavra transforma. e sei como membro ou novo ministro, ficamos anciosos pra fazer as mudanças que pensamos que são necessárias para aquele momento.

  32. José Mariano Diz

    Gostei muito dos comentários, é uma discussão bem calorosa.

    Obrigado a todos, a quem eu saúdo com GRASSA E PAZ.

    Tudo isto me faz lembrar, uma frase destas proferidas em congressos para
    pastores a frase creio que alguns de vocês já ouviram “RESISTIE AO DIACONO
    E ELE FUGIRA DE VÓS” Fiquei muito indignado quando ouvir isto pela
    primeira vez a muitos anos atrás, e pensei o quanto seria danoso para a igreja;
    ate que finalmente vi em uma conferencia do instituto Hogay, o palestrante expor
    em seus islandês e a plateia deram risadas, fora dali chamei-o atenção, tendo
    em vista que ele era um formador de opinião. o resultado disto é que pastores
    influenciado com este jargão tem chutado tantas lideranças da igrejas, e depois
    de expulsar toda liderança finalmente o pastor também sai sem dar muita
    satisfação a igreja.

    Esta maldita frase não é baseada nos ensinamentos do nosso Senhor Jesus
    Cristo, pelo contrário ele disse que aquele que vem a mim de maneira nenhuma lançarei
    fora. e o suposto versículo diz assim “Sujeitai pois a Deus resistir ao
    diabo e ele fugira de vos.” o criador deste jargão infame, não se sujeitou
    a Deus e nem ama a sua igreja compara um ancião que possivelmente é um fundador
    da igreja, ser comparado com diabo.

    Temos que entender que o soberano é o Senhor Jesus Cristo, pastores e
    liderança de igreja tem que ter humildade, e se quer ser senhores, lave os pés
    um dos outros, suportando uns aos outros, deixe a arrogância, e faça o trabalho
    com decência.

    Obrigado a todos.

  33. Celso José Marques Diz

    Muito bom!!!!

  34. Celso José Marques Diz

    Muito bom!!!!

  35. Mário José Diz

    bom

Comentários estão fechados.