Thomas Watson – Uma Exortação Para Amar a Deus [1/6]

O Voltemos ao Evangelho está traduzindo o livro Um Tônico Divino, do puritano Thomas Watson. Confira os capítulos já traduzidos:

  1. As melhores coisas cooperam para o bem [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5]
  2. As piores coisas cooperam para o bem [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6 | Parte 7 | Parte 8]
  3. Por que todas as coisas cooperam para o bem do homem piedoso? [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3]
  4. Sobre o Amor a Deus [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3]
  5. Os Testes do Amor a Deus [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6]
  6. Uma Exortação Para Amar a Deus [Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6]

1. Uma exortação

Deixem-me energicamente persuadir todos aqueles que carregam o nome de cristãos a se tornarem amantes de Deus. “Amai o SENHOR, vós todos os seus santos” (Sl 31.23). São poucos os que amam a Deus: muitos Lhe dão beijos hipócritas, mas poucos de fato O amam. Amar a Deus não é tão fácil quanto pensa a maioria. O sentimento do amor é natural, mas a graça do amor não o é. Os homens são, por natureza, odiadores de Deus (Rm 1.30). Os ímpios fogem de Deus; eles não se submetem às Suas ordenanças, tampouco se põem sob Seu alcance. Eles têm medo de Deus, mas não O amam. Toda a força que há nos homens ou nos anjos não é capaz de fazer o coração amar a Deus. Ordenanças não podem fazê-lo por si mesmas, tampouco a ameaça de condenação; é apenas a força todo-poderosa e invencível do Espírito Santo que pode infundir o amor dentro de uma alma. Sendo esse um trabalho tão difícil, somos chamados a empregar a mais fervorosa oração e a nos empenharmos em buscar essa bela graça do amor. A fim de excitar e inflamar os nossos desejos por ela, eu hei de prescrever vinte motivos para amar a Deus.

(1) Sem amor, toda a nossa religião é vã. Deus não atenta para o dever, mas para o amor ao dever. A questão não é o quanto nós fazemos, mas o quanto nós amamos. Se um servo não faz o seu trabalho voluntariamente, e cheio de amor, sua obra não é aceitável. Deveres executados sem amor são tão insuportáveis para Deus quanto são para nós. Assim, Davi aconselhou o seu filho Salomão a servir a Deus com uma alma voluntária (1Cr 28.9). Cumprir um dever sem amor não é um sacrifício, mas uma penitência.

(2) O amor é a mais nobre e excelente graça. É uma chama pura acendida dos céus; por meio dela nós nos refletimos a imagem de Deus, que é amor. Crer e obedecer não nos torna semelhantes a Deus, mas pelo amor nós crescemos em semelhança a Ele (1Jo 4.16). O amor é a graça que mais se deleita em Deus, e é a graça na qual Deus mais se deleita. Aquele discípulo que estava mais cheio de amor foi o que pôde inclinar-se em seu peito. O amor põe um frescor e um brilho em todas as graças: as graças parecem ficar apagadas, a menos que o amor brilhe e lampeje nelas. A fé não é verdadeira, a menos que atue pelo amor. As águas do arrependimento não são puras, a menos que fluam das fontes do amor. O amor é o incenso que torna todos os nossos serviços agradáveis e aceitáveis a Deus.

(3) Acaso é desarrazoado o que Deus requer de nós? Não é outra coisa, senão o nosso amor. Se Ele pedisse nossas propriedades, ou o fruto de nossos corpos, poderíamos negar-Lhe? Mas Ele pede apenas o nosso amor: essa é a única flor que Ele há de colher. Acaso é esse um pedido difícil? Houve em alguma época uma dívida tão facilmente pagável quanto essa? Nós de maneira alguma empobrecemos ao pagá-la. O amor não é um fardo. Acaso é algum trabalho para a noiva amar o seu esposo? O amor é um deleite.

(4) Deus é o mais adequado e perfeito objeto de nosso amor. Todas as excelências que se mostram dispersas nas criaturas estão unidas Nele. Ele é sabedoria, beleza, amor, sim, a própria essência da bondade. Não há nada em Deus que possa causar repugnação; a criatura facilmente provoca náusea, ao invés de satisfação, mas em há infinitas e renovadas belezas cintilando em Deus. Quanto mais nós desfrutamos de Deus, mais somos arrebatados pelo deleite.

Não há nada em Deus que amorteça as nossas afeições ou apague o nosso amor; nenhuma debilidade, nenhuma deformidade que possa enfraquecer ou esfriar o amor. Em Deus há tal excelência capaz não apenas de pedir, mas de ordenar o nosso amor. Se houvesse ainda mais anjos no céu do que há, e todos aqueles gloriosos serafins tivessem uma imensa chama de amor queimando em seus peitos por toda a eternidade, ainda assim eles não seriam capazes de amar a Deus em equivalência àquela perfeição infinita e bondade transcendente que há Nele. Certamente, então, aqui há o bastante para nos induzir a amarmos a Deus – nós não poderíamos despender o nosso amor em um objeto mais excelente.

(5) O amor facilita a religião. Ele lubrifica as engrenagens das afeições, tornando-as mais vigorosas e alegres no serviço de Deus. O amor lança fora o tédio do dever. Jacó considerou como nada os sete anos que trabalhou, em razão do amor que tinha por Raquel. O amor transforma o dever em prazer. Por que os anjos são tão dispostos e velozes no serviço a Deus? É porque eles O amam. O amor jamais se cansa. Aquele que ama a Deus jamais se cansa de dizê-lo. Aquele que ama a Deus jamais se cansa de servi-Lo.

Por Thomas Watson. Original: A Divine Cordial By Thomas Watson

Tradução: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

13 Comentários
  1. Daniel Diz

    abençoou muito minha vida!!! Glória a Deus!!! continuem firmes!!! 1 Co 15.58

  2. Daniel Diz

    tem um erro de português no último parágrafo, palavra “dispostos” – “dipostos”, valeu, abraço!!! pode excluiu o comentário por gentileza!!!

    1. Vinícius S. Pimentel Diz

      Corrigido, Daniel =]

  3. Karen Marinho Maciel Diz

    Texto maaaraavilhoosooo!!! Verdadeiramente, cada frase mostra-se completamente inspirada pelo Espírito Santo. Louvado seja Deus, tão tremendo e gracioso que revela a seres tão pequenos a profundidade da sua sabedoria e amor! Aleluia!!!

  4. Edmar Alexandre dos Santos Diz

    Amar a DEUS de toda nosso coração, alma, força, entendimento como diz as ESCRITURAS é a essência do verdadeiro adorador, pelo qual DEUS procura. Será que DEUS já nos achou?

  5. Douglas Porto Diz

    Maravilhoso este texto, Watson era um puritano correto?

    1. Vinícius S. Pimentel Diz

      Correto, Douglas. =]

  6. ieda sardinha Diz

    O mais perfeito dom é o amor. O Espírito Santo tem me guiado para pedir a Deus que me ensine a amá- lo verdadeiramente pra que eu possa servi-lo em verdade e esse texto maravilhosamente me encoraja e me consola. Obrigada!

  7. Rosana Rodrigues Diz

    Que lindo! Nas palavras de Watson, amor não é um fardo; é um deleite. É o meu maior desejo e ambição me deleitar apenas nesse amor, suportando com toda a graça os espinhos dessa rosa. Possa o Senhor gerar esse amor profundo em mim.

  8. Bia Diz

    Dom precioso que só poderia vir do Senhor; Ele retém o perfeito amor. Sem o seu amor, o que seríamos?

  9. Edilene Soares Diz

    o amor lança fora o tédio do dever….

  10. Christianne David Diz

    E o maravilhoso disso, desse amor que temos por Deus, é que Ele mesmo, conhecendo nossas debilidades nos capacita através do Espírito Santo a ama-Lo. Então, o maior amor é de Deus por nós!

  11. Heliana Feitosa Diz

    Amar é ser caridoso…….

Comentários estão fechados.