um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Como sei se meu arrependimento é genuíno? – R. W. (Bob) Glenn

Você já se perguntou se seu arrependimento foi genuíno? Se você se arrependeu de verdade? E se eu voltar a cometer o mesmo pecado?

Neste vídeo (3 min), R. W. (Bob) Glenn fala sobre os dois aspectos do arrependimento genuíno: tristeza por causa do pecado e um desejo por completa mudança de vida.

Transcrição

Como sei se meu arrependimento é genuíno?

Arrependimento abrange duas coisas: tristeza por causa do pecado e um desejo por completa mudança de vida. Isso está no nível do coração. E com esse desejo por completa mudança de vida haverá frutos em manter-se em arrependimento. Essa é a parte objetiva. Então aqui está o lado subjetivo, a tristeza e o desejo por mudança completa de vida: A tristeza do verdadeiro arrependimento não é tristeza por não ter alcançado certo padrão, não é tristeza por eu não ser melhor do que sou; no sentido de eu querer ser melhor, então me sinto terrível. Não é tristeza por eu ter violado mandamentos, não é tristeza por que eu deveria ser uma pessoa melhor, nada disso. É uma tristeza sobre como o que eu fiz custou a Deus seu Filho. É tristeza sobre como eu pequei contra Deus, um Deus que me ama e se importa tanto comigo que enviou seu único Filho para me resgatar.

Paulo fala sobre a tristeza piedosa e tristeza do mundo em 2 Coríntios 7. E ele diz: A tristeza piedosa produz arrependimento sem pesar. No verdadeiro arrependimento há um sentimento limpo a partir do qual eu corro de volta para Jesus e não para longe de Jesus. E o arrependimento do mundo produz a morte. O melhor exemplo disso que posso pensar na Bíblia: Pedro e Judas. Pedro trai Jesus; Judas trai Jesus. Pedro se sente terrível por trair Jesus; Judas se sente terrível por trair Jesus. Pedro, quando vê Jesus novamente, pula do barco e nada para a praia. Judas se enforca. Então o que acontece? Na psicologia desses dois caras diferentes, Pedro estava tão triste por ter pecado contra tal amor, mas ele sabia que Jesus o amava. E ele nadou para a praia! Não demorou para os outros caras chegarem à praia de barco. Mas ele correu, essencialmente, correu o mais rápido que pôde para Jesus. E Judas foi na direção oposta.

Então você tem que se perguntar: Essa tristeza é por ter custado a Deus? É por ter causado tristeza a Deus? É estar triste por Deus ter se entristecido? Ou é simplesmente uma espécie de tristeza moral, desejando que você fosse melhor? Então, quando vejo o que Deus fez por mim e corro para os braços de Jesus, eu não quero mais fazer aquilo. Mas não porque eu deveria ser melhor do que isso, eu deveria estar mais longe agora, já sou um cristão por muitos anos. Em vez disso, deveria ser porque ele me ama e me aceita tanto, eu não quero mais fazer isso. Por que eu pecaria contra tal amor?

É isso que acontece internamente, e isso começa a produzir frutos em sua vida. Mudança de verdade nessas áreas da vida que precisam de mudança. Mas não pense que porque você retorna a um pecado similar, que você necessariamente nunca se arrependeu. Porque você pode ter a tristeza apropriada, o desejo apropriado, pode voltar ao cavalo, começar a avançar, e então cair no chão. E isso não significa que você não se arrependeu genuinamente. Algumas pessoas pensam que arrependimento genuíno significa: eu nunca, nunca, nunca, nunca, nunca mais faço tal coisa. Você pode ter arrependimento genuíno e fazer aquela coisa novamente.

Por: R W Glenn. © 2014 Redeemer Bible Church. Todos os direitos reservados. Original: R W Glenn Q&A: How do I know my repentance is genuine?

Tradução: Alan Cristie. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel – Voltemos ao Evangelho © Todos os direitos reservados. Website: VoltemosAoEvangelho.com. Original: Como sei se meu arrependimento é genuíno? – R. W. (Bob) Glenn

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

19 Comentários
  1. Rafael Fcachenco Filho Diz

    Leiam o artigo, e assistam ao vídeo. Muito, muito bom!

  2. Ray Henrique Diz

    Deus é BOM! :)

  3. Josué Meninel Diz

    É esse maravilhoso AMOR DIVINO que nos constrange!
    Obrigado, meu Senhor.

  4. Weverton Sousa Weverton Sousa Diz

    Essa mensagem é muito profunda edificadora, de forma tal que mexe com muitos conceitos e pré – conceitos que carregamos conosco… É um vídeo fantástico.

  5. Marta Evangelista Diz

    muito esclarecedor esse vídeo. quem está de pé veja que não cais.

  6. Evangelista João Carlos Diz

    Eu recomendo para que leiam e assistam ao video, muito esclarecedor.

  7. Wilander Alves Diz

    muito bom

  8. Daniel Franco Diz

    Muito bom ^^

  9. Eliana Santos Pires Diz

    Qual o fruto ou resultado do arrependimento? É o que observamos. Interessante essa explicação; erramos arrependemos e… as vezes erramos de novo( é tolice mesmo ). Graças a Deus Ele é paciente.

  10. Melissa Schulz Diz

    Maravilhoso!

  11. Romario Livramento Diz

    Mas tem pessoas que lutam para praticar a justica mas nunca foram libertas, essas pessoas nunca tem vitoria sobre o pecado, enquanto que o crente verdadeiro peca mas dia apos dia ele vai ser vitorioso ele nao fica estacionado no mesmo lugar. O crente pode cair no mesmo pecado mas é por deslize e nao por escravidao, temos de ter cuidado e separar os joios dos trigos

  12. Romario Livramento Diz

    Mas tem pessoas que lutam para praticar a justica mas nunca foram libertas, essas pessoas nunca tem vitoria sobre o pecado, enquanto que o crente verdadeiro peca mas dia apos dia ele vai ser vitorioso ele nao fica estacionado no mesmo lugar. O crente pode cair no mesmo pecado mas é por deslize e nao por escravidao, temos de ter cuidado e separar os joios dos trigos

  13. Wendryl Santos Diz

    Graças a Deus! Texto e vídeo abençoados,me edificaram mto! Deus os abençoe!

  14. Amauro Hefzibá Diz

    Explêndido

  15. Edivaldo Luciano Diz

    Amem

  16. Ronald Deison Diz

    Quando nos quebrantamos diante de Deus por conta da necessidade de perdão, então sentimos em seguida um alívio na alma, é como um peso arrancado das nosas costas.

  17. Luiz Claudio Reis Diz

    Ou seja, na prática, a diferença entre o o deslize que busca alcançar a Cristo e o deslize que quer estar no mundo é que, em Cristo, há um crescimento gradual.. é como subir uma escada e ir tropeçando às vezes… a subida ocorre, ainda que com algum contratempo que tende a ir se tornando cada vez menor; Já o que está no mundo tropeça (constantemente) pela rua, pois para ele não há escada. Lembrei do filme "O peregrino", no momento no qual ele, em sua jornada, erra e se arrepende, retomando assim a seu objetivo principal; dessa vez, muito mais forte..! Aliás, é uma ótima obra! :)

  18. Epaminondas Rodrigues da Cruz Diz

    Chegará o momento em que diremos como Paulo: Já não vivo eu, mas Cristo vive em mim, por isso, o mal que quero fazer, não faço.

  19. Leandro Augusto Andrade Diz

    o Livro do D.M. LIoyd-Jones "Uma Nação sob a Ira de Deus" é uma analise do cap.5 de Isaías. Essa leitura, principalmente do cap.4 "Cordas de Carroças", tem me ajudar muito a entender essa história no meio do povo de Deus de desliza e escorregão. acho que o povo de Deus daquela época e de agora, ama e puxam com cordas de carroça o pecado pra si.. pouco se vê de deslize. Mas, quando são surpreendidos em seus pecados, Todos sem sombra de dúvida, dizem que foi deslize ou escorregão. parece que se tornou uma desculpa no nosso meio; Poucos são aqueles que assumem que foi planejado, rebelião contra a palavra de Deus; como lidar com isso no meio das igrejas?

Comentários estão fechados.