O verdadeiro socorro para a alma

Um dos grandes dilemas da humanidade é o sofrimento. A presença da dor provoca imensa angústia diante de inúmeros perigos. Alguns, tentando superar a dor negam a existência do mal – eles dizem que o mal é ilusão. Outros recebem o sofrimento afirmando que a alegria é uma gota no oceano do sofrimento. A questão que devemos levantar é a seguinte: como as pessoas que confiam em Deus lidam com o sofrimento?

O salmo 121 é o segundo dos cânticos de romagem. O peregrino que cantou o salmo 120 estava decepcionado com o mundo, mas encontrou paz em Deus. Agora, ele percebe a realidade do sofrimento e decide buscar o socorro de Deus. O salmo 121 é um dos salmos prediletos dos cristãos porque ele fala de esperança, proteção e refrigério nas horas de angústia. Vejamos, pois, o que a métrica do Espírito nos ensina:

O pedido por socorro

O salmo começa com um pedido de socorro: “Elevo os olhos para os montes; de onde me virá o socorro?” (1) Deve-se notar aqui a relação a conexão entre o significado dos montes e a necessidade de socorro. O peregrino não explica exatamente o que lhe aflige, porém não resta dúvidas que olhar para os montes era uma maneira de pedir socorro. Por outro lado, se considerarmos que os montes, naquele tempo, também eram usados como lugares de culto o ato de olhar para os montes pode significar a busca religiosa por socorro. Nesse sentido, olhar para os montes era o mesmo que olhar para o alto.

O socorro de Deus

Ao contrário dos pagãos, o peregrino que cantou o salmo 121 olhava para o monte, mas buscava o Deus do pacto. Ele buscava o Senhor. Como numa grande confissão de fé em forma de oração, os peregrinos reconheciam a operação do criador dos céus e da terra agindo em seu favor deles. De certa forma, podemos dizer que no verso os peregrinos recuperaram a mensagem de Gênesis 1 e se viram como a criaturas que em tudo precisa do seu Criador. Na hora da dor os peregrinos lembravam de Deus.

Guardados no cuidado divino

Depois de olhar o Todo-Poderoso, o criador de todas as coisas, os peregrinos, mesmo angustiados na alma, conseguiram ver e cantar o cuidado divino uns para os outros. Pode-se dizer que, a partir deste momento do salmo, os peregrinas focaram nas implicações do cuidado divino.

Podemos emoldurar a cena deste salmo da seguinte maneira: um peregrino cansado provavelmente expressava seus sofrimentos e, como num responso, os outros peregrinos cantavam; tenha ânimo! Aquele que criou o mundo nos sustentará nessa estrada! Ele guardará nossos pés! Ele não dorme – Baal está com sono, o Senhor não (3-4). Assim como a sombra está colada no corpo, da mesma forma, o Criador é a mão direita que protege (5). Mesmo debaixo do sol escaldante ou na noite escura da alma que desorienta, ali também, se pode experimentar o cuidado divino (6). Não apenas é um dilema ou outro, a providência de Deus não esquece nenhum cuidado – Ele guarda de todo mal (7). O cuidado divino guarda a alma dos peregrinos do começo ao fim! O Senhor cuidará eternamente do seu povo (8).

Você precisa de ajuda

Nas horas de sofrimento onde você procura socorro? O Salmo 121 é uma espécie de Gênesis 1 em forma poesia que visa encorajar os peregrinos. O Criador não está distante. O Criador está ao lado dos peregrinos! O Criador não dorme, ele está acordado 24 horas! Seu cuidado é eterno! Se você está consumido pelo sofrimento volte seus olhos para o Criador de todas as coisas. Ele guardará a tua alma! Ele guardará sua mente e coração!

O mundo debaixo do sol é um lugar difícil. Não adiante negar a realidade da dor ou abraça-la “fatalisticamente”. Decepcionados com o mundo nos voltamos para Deus em busca de paz, mas também procuramos alívio deste estado de angústia. Quando nos vemos diante dos sofrimentos da vida e nos sentimos impotentes precisamos lembrar que somos criaturas e em tudo precisamos do Criador.

Os falsos remédios do paganismo apenas tornam a dor mais crônica – negar a dor ou tentar enfrentá-la com coragem estoica colocará um peso ainda maior em seus ombros. Você precisa de ajuda! O Evangelho nos ensina não apenas que o Criador está perto, mas que ele se fez carne por amor (Jo 1.14). O Criador do mundo se fez criatura para que as criaturas pudessem encontrar descanso eterno! Você não conseguirá sozinho lidar com a culpa, o sofrimento e a angústia que sufoca. O verdadeiro socorro para a alma não está naquilo que você pode fazer, mas no que Deus fez em seu favor através de Jesus! Eleve seus olhos para Jesus e ele vai guardar sua alma agora e para todo sempre!

Por: Francisco Macena. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: O verdadeiro socorro para a alma.

Comentários estão fechados.