O cuidado de Deus por seus filhos

Se existe um assunto que domina as rodas de conversas é o problema da insegurança. Andar na cidade não é algo tranquilo. Tememos a violência urbana que se torna cada vez mais hedionda. Não importa se seu carro é blindado ou se sua casa está devidamente cercada e cheia de câmeras de segurança, o sentimento que algo ruim vai acontecer sufoca as pessoas. Precisamos de proteção!

O Salmo 125 foi cantado por peregrinos por pessoas que conheciam bem os perigos da vida. Eles conheciam o frio na espinha, as manobras perigosas em termos de discipulado e, especialmente, temiam os caminhos tortos. O Salmo 125 é um cântico onde os peregrinos pedem proteção. Vejamos, pois, o que o texto nos ensina:

Um lugar seguro

O povo da Bíblia também possuía inquietações com questões de segurança. De alguma forma, com aquilo que estava ao alcance deles, procurava-se edificar construções seguras em lugares seguros. Guardadas as devidas proporções, também temos nossas preocupações com segurança e usamos das mais variadas estratégias para, pelos menos, ter um sentimento de segurança.

Para o salmista a cidade de Jerusalém, por sua privilegiada posição geográfica, de alguma forma inspirava segurança. Montes cercavam a cidade como se fossem soldados prontos para a batalha, mas será que confiança última dos peregrinos estava nos montes? Definitivamente, não! O monte era firme e inabalável para sempre, mas isso não era uma conquista militar, antes era uma figura que apontava para o Senhor do Pacto. O que garantia a segurança não eram os montes, por si mesmos, mas o Senhor que guarda o seu povo “agora e sempre.” Por isso, os que confiam no Senhor estão firmes.

As pessoas podem até possuir carros blindados, seguranças particulares, poderosos sistemas de proteção, mas, por si mesmos, eles não darão proteção eterna. Existe uma segurança que só pode ser experimentada pelas pessoas que tem fé. Essas pessoas sabem que o cuidado de Deus por seus filhos é “agora e sempre”. O guarda de Israel nos cerca por todos os lados!

A sorte dos justos

O mundo não é um lugar seguro e os peregrinos sabiam disso. Eles conheciam o cetro dos ímpios. O mundo do salmista era um lugar de injustiças perpetrada por pessoas ímpias posicionadas em lugares de poder. No exílio, por exemplo, o povo de Deus viu seus lugares culturais, religiosos e familiares serem queimados, vilipendiados e caçoados. Eles poderiam, aos olhos de alguns céticos, ter todas as razões para amargar alma, mas isso não aconteceu. Eles eram como o monte Sião, firme para sempre.

Por causa da perseverando do Senhor em derredor dos seus, o povo permaneceu firme e inabalável. Eles cantavam uns para os outros:

“Deus tem um tempo para o centro dos ímpios, mas o cuidado do Eterno é “agora e sempre”. Uma hora o governo ímpio vai cessar! Não se deixem levar por eles! Não se tornem ímpios como eles!”

As pessoas que confiam no Senhor sabem que a fé no Senhor não nos blinda quanto aos tempos difíceis. Uma nuvem de testemunhas nos diz que a proteção de Deus atravessou exílios, perseguições imperiais, inquisições, guerras mundiais, guerra fria, ditaduras, presidentes ímpios, mas em todas em essas situações o Senhor deu promessas ao seu povo, promessas de cuidado que são cumpridas “agora e sempre.” Ímpios sobem e caem, porém, a providência de Deus em favor do seu povo é eterna!

Paz sobre Israel

Nem todos os peregrinos continuaram no caminho. Entretanto, o salmista fez uma prece: “abençoa os bons retos de coração.” Creio que ele estava intercedendo pelos peregrinos que continuavam firmes. Ele estava pedindo por eles para que fossem abençoados no caminho da bondade e da retidão. Ao mesmo tempo ele deixou uma exortação: “os que se desviam, o Senhor levará com os malfeitores.” Trata-se de um alerta: “persevere em fazer o bem. Nunca pense em deixar o caminho porque os que desviam andam com malfeitores, não com o Senhor.”

O que é paz? Paz é segurança em Deus. Paz é a certeza de que mal não é eterno. Paz é andar no caminho bom e reto, contando com a benção do Senhor. Creio que é dentro desse campo mais amplo das relações do pacto que o salmista clama por paz e experimenta paz.

Quando o cristão canta o Salmo 125 ele lembra doce promessa de Jesus: “Eis que estou convosco todos os dias”. Ele também lembra do que disse o apóstolo: “junto com a provação o Senhor nos dá o escape”. Ele recorda as palavras de João: “aqueles que estavam entre nós e saíram é porque, de fato, nunca foram dos nossos.” Eis a paz de Deus que “excede todo entendimento”. Paz é saber que nada pode nos separar do amor de Deus, que toda lágrima será enxugada, que a obra que o Senhor começou ele terminará. Você conhece essa paz? Você ora por ela e fala dessa paz para seus irmãos? Mais do que nunca precisamos reaprender a cantar e viver o salmo 125! Que o Senhor nos ajude!

Por: Francisco Macena. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: O cuidado de Deus por seus filhos.

Comentários estão fechados.