O impacto do evangelho em uma mente feminista (VE Entrevista)

“Virar cristã foi uma mudança tão profunda em minha vida em todos os sentidos, não somente em relação às ideologias feministas, mas toda a razão que temos para viver e para o que fazemos.” – Carolyn McCulley

Renata Gandolfo, editora do canal “Vida de Ovelha” de conteúdos femininos para o Voltemos ao Evangelho, entrevistou Carolyn McCulley, autora do livro Feminilidade Radical, sobre o impacto do evangelho em uma mente feminista. Veja o vídeo abaixo:

Feminilidade Radical

Fé Feminina em um Mundo Feminista

Como podemos entender o delicado equilíbrio entre a influência cultural, a perspectiva histórica e a autoridade bíblica quando se trata de nosso papel como mulheres no lar, no trabalho, na igreja e na cultura? De que forma as três ondas do feminismo impediram a visão de Deus para as mulheres? E, finalmente, como podemos entender para onde ir a partir daqui? Em meio à confusão radical de nossa cultura acerca da feminilidade, Carolyn ensina a verdade radical do plano sábio e gracioso de Deus para as mulheres.

CONFIRA

Transcrição:

Carolyn McCulley:

Virar cristã foi uma mudança tão profunda em minha vida em todos os sentidos, não somente em relação às ideologias feministas, mas toda a razão que temos para viver e para o que fazemos. E eu acho que a mudança mais profunda em mim foi compreender o significado de ser uma mulher criada à imagem de Deus. E foi muito importante entender os meus papéis à luz disso.

O tempo foi passando e eu acabei não me casando e não tendo filhos. Isso é algo que…

É algo que, antes do Cristianismo, eu teria tido: “Tudo bem, são decisões independentes que eu tomei”. Mas como cristã, o que eu estava fazendo era confiar em Deus e no plano dele para a minha vida. Então, eu acho que a mudança entre estar no controle para se submeter ao plano dele foi provavelmente mais profundo do que qualquer outra coisa.

Além disso, eu mencionaria a compreensão do que significa viver o propósito do evangelho nos relacionamentos em vez de viver para seu próprio benefício e objetivo egoísta. O que eu estou dizendo não é que todo mundo que defende uma ideologia feminista é necessariamente egoísta, mas que nós somos inerentemente focados em nós mesmos. É assim que nós somos, exceto se tivermos um relacionamento com Deus, que faz com que o nosso foco mude. É provável que essa tenha sido a maior mudança no meu pensamento.

Por: Carolyn McCulley. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Inconformadas com o machismo dentro das igrejas (VE Entrevista).

Comentários estão fechados.