O véu (Exegese Visual)

“Quando, porém, algum deles se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado. Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade”. 2 Coríntios 3.16,17

“O Senhor é o Espírito”, penso – que, após a ascensão, o Senhor (tipicamente Cristo nos escritos de Paulo) é visto, conhecido, recebido e comunicado pelo Espírito. O Espírito é aquele em quem e por quem nós recebemos o Senhor; ele é o resplendor de Deus por quem e em quem recebemos a luz do conhecimento da glória do Pai na face do Filho. Se vamos contemplar a glória de Deus, nós o veremos pelo Espírito no Filho.

Mais, deve ser dito sobre os difíceis e ímpares usos, por Paulo, de “Senhor” nesta seção, mas o que eu quero focar é na remoção do véu. Paulo tomou a imagem de um véu sobre o rosto de Moisés e transformou-o em um véu sobre o coração das pessoas. Entretanto, além dessas duas imagens, achamos difícil acreditar que uma mente tão profundamente judia quanto a de Paulo pudesse falar de um “véu” sem também aludir ao véu do Santo dos Santos, um véu que – como o um sobre a radiante glória do rosto de Moisés, separa a pessoa da presença do Senhor, YHWH.

Nesse caso, é interessante considerar a glória de Deus repousando no rosto de Moisés como algo como o “santo dos santos” que teve de ser ocultado do povo. É ainda mais intrigante considerar o véu que separa o rosto de Moisés e o véu que separa o Santo dos Santos como sendo – em última instância – não como véus que separam uma pequena parte do mundo (face de Moisés / santo dos santos) do mundo real e maior – mas sim como véus que dividiam o espaço apertado e pecaminoso (o coração do pecador) da plenitude da realidade em Deus.

É como se todo o mundo real, todo o universo da glória estivesse no Santo dos Santos, enquanto o véu que parece separá-lo de tudo o mais é, na verdade, apenas um véu sobre os corações humanos … o mundo real está “lá dentro”, o mundo real, completo e livre está por trás do véu, dentro do Santo dos Santos, na presença de Deus … todo o mundo deste lado do véu é apenas a projeção monótona e triste do meu pecado. Coração cegado pela glória. O humano não acorda realmente para a realidade, não se torna verdadeiramente livre até que o véu que o separa da glória do Senhor (que é realmente apenas um véu sobre o seu próprio coração) seja retirado.

Ver o Glorioso como glorioso, contemplar e reconhecer a glória de Deus em face do Cristo crucificado pelo Espírito … isso é liberdade … isso é sair do espaço apertado dos nossos corações velados para o vasto país de sua glória. Enquanto não soubermos o que é a glória, enquanto não tivermos visto a Beleza de Deus pelo Espírito na cruz do Filho, ainda estaremos escravizados, ainda presos, ainda enjaulados por trás do véu do nosso coração.

Ver e conhecer a Beleza é ser livre – se, por Beleza, queremos dizer “o Nome de Deus manifestado em Jesus Cristo”.

Por: Chris Powers. © Full of Eyes. Website: fullofeyes.com. Traduzido com permissão. Fonte: The Veil.

Original: O véu (Exegese Visual). © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Paulo Reiss Junior. Revisão: Filipe Castelo Branco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.