O chamado impossível do pregador cristão

Pregador cristão, seu chamado é surpreendente. De fato, sua vida é surpreendente. Espero que você esteja impressionado com sua existência milagrosa em Cristo. Como cristão, você não é único, mas é surpreendente.

Existência surpreendente

Quando Jesus Cristo ressuscitou dos mortos pela “suprema grandeza do poder” do Criador, ele “estava sentado à direita” de Deus no céu (Efésios 1. 19–20). É lá que o Deus-homem está hoje. Esperando a última trombeta. Enquanto escrevo, lá está ele. Enquanto você prega, lá está ele.

Depois de nos dizer que Cristo está sentado à mão direita de Deus, Paulo nos diz que você está sentado ali com ele. Agora. Hoje.

Deus “nos deu vida juntamente com Cristo, . . . nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus”; (Efésios 2.5–6).

Ele te colocou lá quando lhe deu vida – quando fez de você uma nova criação. Isso já está feito. Não é algo que ainda será feito. Mas que já está pronto. Você, pregador cristão, hoje senta-se com Jesus à direita de Deus.

“. . . a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória”. (Colossenses 3.3–4). Hoje, Glória insuperável. Então, em sua vinda, a glória manifestada. Pregador cristão, você está surpreso com sua vida?

Chamado Surpreendente

Seu chamado para pregar é surpreendente! Você compartilha do chamado de Paulo feito pelo Senhor Jesus, não compartilha? Você sabe o que Jesus disse a ele:

“. . ., para os quais eu te envio, para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim”. (Atos 26.17–18)

Você é chamado a fazer o que somente Deus pode fazer – abrir os olhos dos cegos – os cegos que não podem ver “a luz do evangelho da glória de Cristo” (2 Coríntios 4.4). Somente o Criador do universo pode dizer: “Haja luz”! No coração cego pelo pecado e por Satanás – e esperar que o cego veja. E é exatamente isso que ele diz aos corações cegos.

“ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo”. (2 Coríntios 4.6).

Surpreenda-se, Deus salva através de você

Se isso não é surpreendente o suficiente ­­- que Deus dê aos pecadores cegos uma visão real de sua glória na face de Cristo e os ressuscite da morte espiritual – então acrescente o seguinte: ele faz isso através de você. Através da sua pregação! Você. Um mero homem. Um pecador, finito, falível, chamado servo do Cristo ressuscitado.

“Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação”.  (1 Coríntios 1.21)

Quando você anuncia as glórias de Deus em Cristo, Deus salva. Deus abre os olhos do coração (Efésios 1.18). Ele ilumina com a glória de Cristo. Ele torna essa beleza alegremente irresistível. Se surpreenda, pregador cristão, Deus salva os pecadores através da sua pregação.

Experimentar isso é emocionante. Hoje mesmo recebi uma carta de um homem que foi convertido através da pregação de vários pastores. Eu fui um deles. Ele escreveu,

“[Ele] continuou a expor os próximos versículos, e naquele momento tudo fez sentido. Deus, pelo poder do Espírito Santo, me mostrou que eu clamei a Jesus porque ele havia me dado a ele, que Jesus nunca iria me expulsar, e sua vontade era que eu nunca me perdesse. Comecei a chorar de alegria e fiquei cheio da mais maravilhosa sensação de calor e conforto. Desde aquele dia, descobri que Deus colocou em meu coração o desejo de procurá-lo diariamente, adaptar todos os aspectos da minha vida à sua palavra e combater o pecado na minha vida”.

Preâmbulo surpreendente para uma grande ordem

Pregar não é apenas ensinar. Não é apenas dar conselhos. Não é debater. Pregar é uma sincera proclamação da realidade comunicada pelos porta-vozes inspirados pelo próprio Deus na Bíblia.

Paulo diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus” (2 Timóteo 3.16). Então ele diz: “Pregue a palavra”! (2 Timóteo 4.2). Isto é, “Proclame (grego kērussō) a palavra”! E entre este mais alto de todos os louvores da Escritura (inspirado por Deus), e este comando para “Proclamar a palavra”, é o preâmbulo mais surpreendente da Bíblia para uma grande ordem.

Esse preâmbulo transforma a ordem de anunciar a palavra em uma adjunção exaltada, solene e supremamente importante:

Conjuro-te,

perante Deus

e Cristo Jesus,

que há de julgar vivos

e mortos,

pela sua manifestação

e pelo seu reino: prega a palavra! (2 Timóteo 4.1,2)

Não conheço nada assim em toda a Bíblia. Essa é uma preparação incomparável para uma ordem de três palavras. A proclamação da palavra de Deus está em obediência a uma “demanda” solene e apostólica. Essa demanda da pregação com poder “na presença de Deus”, o Criador de todas as coisas.

Isso acontece “na presença de Cristo Jesus”, o Filho de Deus. Isso acontece à luz de um grande “julgamento” final por parte daquele de quem pregamos. Acontece – sempre acontece – na presença daqueles que serão julgados, vivos ou mortos. Isso acontece na certeza da manifestação pessoal de Cristo neste planeta. E isso acontece no poder e na presença do abrangente reino de Cristo.

Irmão, seu chamado para pregar é surpreendente!

Permaneça acordado com a maravilha do seu chamado. Se você não estiver acordado para isso, seu povo também não estará. E isso seria trágico.

Privilégios surpreendentes da pregação

Você fica diante do povo de Deus e conta a eles as maiores realidades do mundo. Você consegue exultar com eles sobre as verdades mais exaltadas do universo. Você explica a eles as maravilhas mais misteriosas já concebidas na mente de Deus. Pois você é “mordomo dos mistérios de Deus” (1 Coríntios 4.1).

Você representa a mais alta autoridade do mundo – “Deus fazendo seu apelo através de você: reconcilie-se com Deus” (2 Coríntios 5.20). Você medita dia e noite, como parte de sua vocação, em realidades que são mais valiosas que ouro e prata. Você pode mastigar, saborear e falar as verdades mais deliciosas que existem – verdades mais doces que o mel e o destilar dos favos (Salmo 19.10) – mais doces que a doçura mais intensa do mundo.

Deus encheu sua boca não apenas com a verdade, mas com uma verdade bela, uma verdade infinitamente valiosa, uma verdade profundamente satisfatória. É por isso que seu trabalho é pregar, não apenas ensinar. Pregar, não apenas explicar. Pregação, não apenas discutir, debater ou defender. Deus criou a singularidade da pregação por causa da singularidade da realidade comunicada em suas palavras inspiradas.

Explicando e Exultando

Sim, essas palavras e essa realidade devem ser explicadas. Pregar inclui a exposição de textos bíblicos, ou você não está pregando. A realidade final – realidade gloriosa – chega até nós através de textos escritos. Mas uma exposição cuidadosa não é pregação. Ainda não.

Pregar é o efeito de uma realidade surpreendente, transmitida pela verdade, mediada pelo texto e revelada pelo Espírito. E esse efeito não é tédio. Não é neutralidade emocional. Não é morno. Não é tolice, esperteza ou leviandade. Não é um emocionalismo obsceno. Não é um patético melodrama. Não é pseudossolenidade.

O efeito da realidade surpreendente, transmitida pela verdade, mediada por texto e revelada pelo Espírito na pregação é exultação sobre a palavra. Ou, mais precisamente, é o transbordamento dos lábios da emoção despertada pelo Espírito, apropriado à realidade do texto. Mas nunca é neutro. A pregação emocionalmente neutra não incorpora a realidade do texto; isso o trai.

Pregar é uma sincera proclamação da realidade comunicada pelos escritores inspirados da palavra de Deus, a Bíblia. Eu chamo de “exultação expositiva”. Não é uma ou outra – exposição ou exultação. São os dois ao mesmo tempo. O chamado do pregador cristão é iluminar a mente pela exposição da Palavra de Deus e animar o coração com a glória que ela carrega.

Isso é surpreendente. Realmente impossível. Para um homem. Iluminar os cegos. Animar os mortos. Esse é um chamado surpreendente. O caminho pelo qual o milagre acontece eu chamo de exultação expositiva.

Se você se pergunta o que mais significa essa descrição da pregação, tentei compartilhar meu fardo no livro Exultação Expositiva: A Pregação Cristã Como Adoração. Espero que você encontre nele o caminho, e através dele o poder, para o chamado surpreendente da pregação cristã.

Exultação expositiva

A pregação cristã como adoração

“Exultação Expositiva” é um livro construído sobre a base de dois títulos anteriores: “Uma Glória Peculiar” e “Lendo a Bíblia de Modo Sobrenatural”. Nele, John Piper tem como objetivo demonstrar que o propósito do sermão não é somente explicar o texto, mas também, despertar o louvor ao ser, em si, uma expressão de adoração a Deus.

Confira

 

Por: John Piper. © Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org. Traduzido com permissão. Fonte: The Impossible Calling of the Christian Preacher.

Original: O chamado impossível do pregador cristão. © Ministério Fiel. Website: MinisterioFiel.com.br. Todos os direitos reservados. Tradução: Paulo Reiss Junior. Revisão: Filipe Castelo Branco.