John Piper – Aos Pregadores da Prosperidade: Separem-se dos Mercadores

Esse post é a décimo primeiro de uma série de doze. O conteúdo vem de “Doze Apelos aos Pregadores da Prosperidade”, que pode ser encontrado na nova edição do Let the Nations Be GladRegozijem-se as Nações, publicado pela Editora Cultura Cristã*).
O apóstolo Paulo nos dá um exemplo do quão cauteloso ele era para não dar a impressão de que estava no ministério por dinheiro. Ele disse que os ministros da palavra têm o direito de viver do ministério. Mas então, para mostrar-nos o perigo nisso, ele se recusa a usar plenamente esse direito. 

“Na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi, quando pisa o trigo. […] Certo que é por nós que está escrito; pois o que lavra cumpre fazê-lo com esperança; o que pisa o trigo faça-o na esperança de receber a parte que lhe é devida. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito recolhermos de vós bens materiais? Se outros participam desse direito sobre vós, não o temos nós em maior medida? Entretanto, não usamos desse direito; antes, suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo.” (1Coríntios 9:9-12)

Em outras palavras, ele renunciou a um direito legítimo justamente para não dar a ninguém a impressão de que o dinheiro era a motivação de seu ministério. Ele não queria dinheiro de seus neófitos: “Nunca usamos de linguagem de bajulação, como sabeis, nem de intuitos gananciosos. Deus disto é testemunha” (1Tessalonicenses 2:5).

Ele preferia trabalhar com suas mãos ao invés de dar a impressão de que estava mercadejando o evangelho: “De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem vestes; vós mesmos sabeis que estas mãos serviram para o que me era necessário a mim e aos que estavam comigo. Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber” (Atos 20:33-35).

Ele sabia que havia mercadores da palavra de Deus que pensavam que “a piedade é fonte de lucro” (1Timóteo 6:5-6). Mas ele se recusava a fazer qualquer coisa que o pusesse naquela categoria: “Nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Coríntios 2:17).

Muitíssimos pregadores da prosperidade não apenas dão a impressão de que estão “mercadejando a palavra de Deus” e fazem da “piedade uma fonte de lucro”, mas realmente desenvolvem uma teologia fictícia para justificar suas extravagantes exibições de riqueza.

Paulo fez exatamente o oposto.

Postagem nesta série:





Por John Piper. © Desiring God. Website:desiringGod.org
Original:
To Prosperity Preachers
Tradução : voltemosaoevangelho.com
Permissões:
Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

* A edição da Cultura Cristã é anterior a nova edição lançada nos EUA, portanto não possui estes artigos.

5 Comentários
  1. missaodespertar Diz

    Olá Amado, sou mais uma nessa visão de Deus para os últimos dias, Deus tem nos dado uma visão de trabalho para Despertar a Igreja D'Ele, para a santidade, ao primeiro Amor, as primeiras obras. Sou mais um nessa caminhada, reconheci os meus erros e agora sinto-me compungido pelo Espírito a tocar essa trombeta…Glória a Deus por sua vida…Que o nome de Jesus seja Glorificado….

  2. rosy Diz

    Glorias á Deus que me libertou disso; Passei 17 anos dentro de um lugar assim, so pregava sobre riquesas deste mundo, sacrificios financeiros quase todo mes, sacrificio total a cada 6 meses, e durante toda semana, em cada reunião cada versiculo pregado era motivo pra se passar envelope de campanha.
    Demorou, mas um dia Deus abriu meus olhos e meu entendimento espiritual; Hoje sou livre em Cristo Jesus de fato e de verdade; Livre de religião e do engano!
    Hoje nao vou á nenhuma denominação, fazem 2 meses, e neste meio tempo longe da religiosidade tenho aprendido e conhecido o verdadeiro Evangelho.
    Obrigada, meu Senhor pois, mais uma vez me salvaste!

  3. […] John Piper – Aos Pregadores da Prosperidade: Separem-se dos Mercadores Esse post é a décimo primeiro de uma série de doze. O conteúdo vem de “Doze Apelos aos Pregadores da Prosperidade”, que pode ser encontrado na nova edição do “Let the Nations Be Glad”Regozijem-se as Nações, publicado pela Editora Cultura Cristã*). O apóstolo Paulo nos dá um exemplo do quão cauteloso ele era para não dar a impressão de que estava no ministério por dinheiro. Ele disse que os ministros da palavra têm o direito de viver do ministério. Mas então, para mostrar-nos o perigo nisso, ele se recusa a usar plenamente esse direito. […]

  4. rene menon Diz

    LOUVADO SEJA DEUS NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO PELOS HOMENS QUE NAO ANDAM COM CABRESTO MAS SE ENJURIAM PELO USURPADOR DAS COISAS DE DEUS FOMOS LIVRES POR CRISTO NAO TORNEMOS A ESCRAVIDAO DE QUE CRISTO NOS LIBERTOU.

  5. Ricardo Pessoa Diz

    Um alerta aos que vivem do Evangelho e aos que são tentados a negociar a pérola mais preciosa do cristianismo – A CRUZ DE CRISTO (Lá aprendemos sobre a essência humana e a natureza santa, justa e amorosa de Deus). "Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome diariamente sua cruz e siga-me." Jesus, o Cristo. Que Deus nos guarde de fazermos da piedade uma fonte de lucro.

Comentários estão fechados.